Com luxos que incluem até teto solar, Peugeot 208 busca protagonismo entre hatches compactos

Segundo carro fruto do grupo Stellantis, modelo recorre a 1.0 da Fiat para ampliar gama de motores – que tem elétrico, mas ainda deve turbo

Rodrigo Mora
Compartilhe esta publicação:
(Divulgação)
(Divulgação)

Peugeot 208 Style

Acessibilidade


Produtos da fusão entre PSA e FCA começam a aparecer no mercado nacional. Há duas semanas a Peugeot apresentou o furgão utilitário Partner Rapid, nada mais do que um Fiat Fiorino com seu logotipo.

Tanto a francesa quanto a italiana compõem o conglomerado Stellantis, que ainda abarca Jeep, Ram e Citroën, apenas para citar as marcas presentes no Brasil. Globalmente, o grupo também detém Alfa Romeo, Chrysler, Dodge, DS, Lancia, Maserati, Opel, Vauxhall e Abarth – esta última a próxima a se apresentar ao consumidor brasileiro, com direito a “estreia” no BBB.

(Divulgação)
(Divulgação)

Nome da versão Style aparece na coluna C

Agora é o hatch 208 que se aproveita da fusão, cujo principal objetivo é a troca de tecnologias. E novamente a Peugeot bateu na porta da Fiat, desta vez para emprestar o motor 1.0 Firefly do Argo.

Leia mais: Como a Volvo expandirá rede de eletropostos de carga rápida no Brasil

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Disponível apenas com motor 1.6 acoplado a câmbio automático, agora o hatch compacto oferece – como seus antecessores 206 e 207 e sua primeira geração – motor de 1 litro e transmissão manual, no caso de cinco marchas.

Tricilíndrico, o bloco 1.0 de origem Fiat recebeu mudanças para se adequar à plataforma CMP da Peugeot, que afirma que “o desenvolvimento local feito de maneira conjunta com equipes de engenharia Stellantis em Porto Real (RJ), Betim (MG) e Palomar (Argentina)”.

(Divulgação)
(Divulgação)

Motor 1.0 de 75 cv veio do Fiat Argo, “primo” distante do Peugeot 208 dentro do grupo Stellantis

Com etanol no tanque, render 75 cv de potência e 10,7 kgfm de torque. Segundo a marca, o consumo (não divulgado) garantiu ao 208 nota A nos testes do Inmetro. Sua durabilidade é estimada em 240 mil quilômetros.

Na configuração Like, o 208 sai por R$ 72.990 e oferece de série quatro airbags, central multimídia de 10,3 polegadas com conexão sem fio para Android Auto e Apple Car Play luzes diurnas em LED (DRL), vidros e retrovisores elétricos, entradas USB e controles de estabilidade e tração.

(Divulgação)
(Divulgação)

Central multimídia de 10,3 polegadas vem de série em todas as versões na linha 2023

Depois vem a Style, de R$ 79.990, que assumirá o papel de protagonista da linha 2023 do hatch. Além de sutis diferenças visuais – como rodas aro 16 com acabamento escurecido, grade “Dark Chrome”, capas dos retrovisores em preto brilhante, saída do escapamento com ponteira cromada e aerofólio traseiro, se destaca da opção de entrada pelo teto solar, único no segmento.

(Divulgação)
(Divulgação)

Teto solar é exclusividade do 208 no segmento de hatches

Destaque também para o carregamento de smartphone por indução, câmera de ré com projeção e sensor de estacionamento traseiro.

(Divulgação)
(Divulgação)

Peugeot 208 tem peculiar posição ao volante

No entanto, a Peugeot afirma que são preços promocionais, sugerindo que em algum momento podem sofrer reajustes.

Questionado sobre o motor turbo, já presente em modelos da concorrência, Felipe Daemon, diretor da Peugeot, garantiu que ele fará parte da gama, mas tergiversou sobre quando e como.

Compartilhe esta publicação: