Conheça o eco-lodge luxuoso que está restaurando as florestas nativas de Ruanda

O Bisate Lodge vem servindo como base para a reconstrução do habitat de animais como elefantes e gorilas

Jared Ranahan
Compartilhe esta publicação:
David Crookes
David Crookes

Em 2001, cerca de 99% da Floresta Gishwati, no Parque Nacional dos Vulcões, foi destruída

Acessibilidade


Embora seja apenas um pouco maior do que o estado norte-americano de Maryland, Ruanda abriga uma quantidade imensa de biodiversidade.

Esta nação do leste africano está repleta de pássaros deslumbrantes como o turaco de Ross, o trogon collaris e o cordonbleu de bochechas vermelhas. Já o gorila da montanha, um dos animais mais buscados por turistas, pode ser encontrado na região das Montanhas de Virunga. Apesar da vida selvagem abundante, porém, uma enorme questão ambiental tem atormentado a região por anos a fio.

Nos últimos anos, o desmatamento desenfreado provou ser devastador para a biodiversidade de Ruanda, com 99% da Floresta Gishwati tendo sido destruída em 2001. Mais de vinte anos depois, pode-se supor que há pouca esperança para as espécies nativas do país. No entanto, felizmente, não há escassez de empresas locais que se dedicam a restaurar esta reserva icônica, com os prestigiados Wilderness Safaris servindo como força motriz.

Leia mais: 10 hotéis de luxo para aproveitar o frio no Brasil

Sua base de operações? O luxuoso Bisate Lodge, um destino de ecoturismo de primeira linha que oferece passeios para avistar gorilas, safáris de macacos dourados e uma variedade de outras incursões focadas na natureza do icônico Parque Nacional dos Vulcões de Ruanda.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Em 2015, a Wilderness Safaris comprou 172 terrenos agrícolas desabitados (equivalentes a 42 hectares) da população local, e esta é a terra em que a Wilderness Bisate foi construída”, diz Lucy Lopez, gerente sênior de relações públicas na Wilderness Safaris.

“Muito mais do que simplesmente querer construir uma base para visitar os gorilas, nosso objetivo era restaurar a paisagem circundante ao seu estado de floresta natural e, assim, fornecer aos gorilas e outras espécies o habitat de que precisam para sobreviver e prosperar.”

Hoje, a floresta passa por um poderoso ressurgimento, com 70 mil árvores plantadas na propriedade nos últimos seis anos. Trabalhando em conjunto com instituições de prestígio como o Conselho de Desenvolvimento de Ruanda, a African Wildlife Foundation e o Dian Fossey Gorilla Fund International, o Bisate Lodge fez uma seleção diversificada de flora indígena que deve retornar ao seu lar natal.

Neuboutonia, Dombeya e Xymalos são apenas algumas das plantas que encontraram grande sucesso no viveiro da pousada, com a Wilderness Safaris desenvolvendo estudos intensivos para garantir em qual altitude cada espécie florescerá.

Embora a flora nativa de Ruanda certamente tenha se beneficiado do programa, está longe de ser a única variedade de vida selvagem que teve um retorno bem-vindo à área. Animais grandes e pequenos estão prosperando em toda a Floresta Gishwati: o hirax arbóreo, o serval e o macaco dourado estão todos presentes na área do lodge, embora talvez o mais emocionante seja a presença de alguns expoentes da megafauna africana.

“O projeto de reflorestamento de Bisate atingiu outro marco quando percebemos que havíamos ‘hospedado’ nosso primeiro elefante depois que o um esterco foi visto no heliporto”, diz Lopez. “E no ano passado ficamos surpresos ao ver imagens de armadilhas fotográficas de um gorila da montanha na propriedade, outra novidade emocionante.

“Todos esses animais são residentes no Parque Nacional dos Vulcões, então podemos dizer com segurança que nosso programa de reflorestamento está ampliando significativamente o habitat dos animais selvagens”, afirma.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: