McCartney se junta a Springsteen e Grohl em apresentação épica no Festival de Glastonbury

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Paul Sandle

GLASTONBURY, Inglaterra (Reuters) – Paul McCartney recebeu as presenças ilustres de Bruce Springsteen e Dave Grohl em uma performance épica em Glastonbury na noite de sábado que teve desde a primeira demo dos Beatles até algumas de suas últimas gravações.

O cantor e compositor, que fez 80 anos há uma semana, foi o artista solo mais velho a se apresentar como atração principal na Fazenda Worthy, no sudoeste da Inglaterra, onde o festival comemorou seu quinquagésimo aniversário com dois anos de atraso por conta da pandemia.

Abrindo o espetáculo com “Can’t Buy Me Love”, McCartney tocou para o público do festival músicas de mais de meio século de idade, de clássicos dos Beatles como “Come On to Me” até “Egypt Station”, de 2018.

O vocalista dos Foo Fighters, Dave Grohl, subiu ao palco para ajudá-lo com “I Saw Her Standing There” e “Band on the Run”, recebendo uma saudação estrondosa do público. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Após a apresentação com seu “amigo da costa oeste da América”, McCartney introduziu outra surpresa. “da costa leste da América”: Bruce Springsteen. Os dois apresentaram “Glory Days” e “I Wanna Be Your Man”. 

McCartney, um dois maiores compositores em língua inglesa no século XX ao lado de John Lennon, homenageou seus ex-companheiros de banda no show de quase três horas de duração. Ele tocou “Something”, de George Harrison, e fez um dueto virtual com Lennon em “I’ve Got a Feeling”. 

Grohl e Springsteen voltaram ao palco para o bis com “The End”, do disco “Abbey Road”. 

(Reportagem de Paul Sandle)

Compartilhe esta publicação: