XC90 ganha mais autonomia para não depender de gasolina na cidade

Com bateria de 18,8 kWh, SUV pode rodar até 71 km apenas no modo elétrico; Volvo quer suavizar transição para mobilidade 100% limpa

Rodrigo Mora, de Villa la Angostura (Argentina)
Compartilhe esta publicação:
(Divulgação)
(Divulgação)

XC90 chega à linha 2023 com mais autonomia no modo elétrico

Acessibilidade


Se mantido o intervalo de 12 anos entre uma geração e outra, o Volvo XC90 avançará à terceira fase somente em 2026. Até lá, é preciso atualizar o utilitário de luxo para mantê-lo competitivo.

Junte-se a isso a meta da Volvo de oferecer uma gama 100% elétrica até 2030 e o resultado é um XC90 – primeiro modelo híbrido da Volvo no Brasil – com mais autonomia para a linha 2023.

“Mudar para o 100% elétrico é um desafio e sabemos que dirigir um modelo híbrido geralmente é um trampolim para tornar-se totalmente elétrico. Por isso, a partir de agora, estamos com uma nova opção, fazendo com que as pessoas possam usar o modo elétrico a maior parte do tempo”, explica João Oliveira, diretor geral de Operações e Inovação da Volvo Car Brasil.

(Divulgação)
(Divulgação)

Ainda atual, desenho do XC90 foi mantido.

Novidades na propulsão híbrida se concentraram no reforço das baterias, que ao receberem uma terceira camada de células tiveram sua capacidade elevada em 62%, chegando agora a 18,8 kWh.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Resultado principal é um alcance no modo elétrico de até 71 km, contra cerca de 44 km no modelo anterior.

Leia mais: Como a Volvo expandirá rede de eletropostos de carga rápida no Brasil

“Mas o que isso muda no dia a dia para as pessoas? É mais um passo rumo à eletrificação. É uma forma que estamos dando às pessoas para se acostumarem a andar 100% eletrificadas”, complementa Rafael Ugo, diretor de Marketing da Volvo.

(Divulgação)
(Divulgação)

Interior manteve pegada “pós-luxo”, mesclando materiais nobres com ambiente leve, sem excessos

Com mais pessoas dirigindo no modo puramente elétrico, a Volvo Cars estima uma redução de 50% na emissão de CO2 na atmosfera.

De resto, há também mais força: a potência saltou de 412 cv para 468 cv, enquanto o torque foi de 65 kgfm para 72 kgfm.

As atualizações servem também para o XC60, cujos preços vão de R$ 399.950 (Inscription Expression) a R$ 466.950 (Polestar).

O XC90 parte de R$ 509.950, na configuração Inscription Expression, e vai até R$ 563.950, caso da opção R-Design.

Em um curto test drive pela famosa Ruta 40, na região da Patagônia, na Argentina, vencemos o primeiro trecho, de aproximadamente 40 quilômetros, apenas no modo elétrico. E isso em condições desfavoráveis às baterias, que no frio (termômetros marcavam -5 graus) tendem a render menos.

Outro ponto que se destacou foi o motor elétrico responder melhor nas retomadas, que geralmente demandam a força do propulsor a combustão.

Nas acelerações, percebemos que o salto de potência deixou o XC90 mais ágil. Segundo a Volvo, o 0 a 100 km/h caiu para em torno de 5 segundos – o que nos pareceu condizente com o comportamento do SUV.

Aniversário

A renovação do XC90 ocorre no ano em que o modelo completa 20 anos. Primeiro modelo do tipo na prateleira da Volvo, tinha sete lugares, motores de cinco, seis e oito cilindros e uma série de equipamentos avançados ou até mesmo inéditos para a época, como sistema frontal para minimizar impactos e ferimentos em pedestres e um dispositivo que detectava e reduzia o risco de capotamento.

(Divulgação)
(Divulgação)

Primeira geração do XC90 foi de 2002 a 2014

Nas diretrizes para a concepção do modelo, porta-malas com piso plano, propriedades de condução equivalentes às de um carro normal e liderança no segmento em economia de combustível eram prioridades.

(Divulgação)
(Divulgação)

Como no modelo atual, interior do antecessor oferecia espaço interno amplo

Após 636.143 unidades produzidas, a primeira geração do XC90 se despediu em 11 de julho de 2014. No seu lugar na fábrica de Torslanda, na Suécia, um totalmente renovado XC90 começou a ser fabricado.

(Divulgação)
(Divulgação)

Volvo XC90 (2012)

Revelada no Salão de Paris de 2014, a segunda geração do XC90 representou o primeiro Volvo após a compra da marca sueca pela chinesa Geely e o primeiro a usar a moderna plataforma modular SPA (Scalable Product Architecture).

No Brasil, o SUV estreou em setembro de 2015 com a missão de incomodar BMW X5, Audi Q7, Mercedes-Benz ML e Land Rover Range Rover Sport. Partia de R$ 319 mil na versão Momentum e chegava a R$ 363.000 na Inscription, sempre equipado com motor 2.0 de 320 cv.

 

O jornalista viajou a convite da Volvo Car Brasil.

 

Compartilhe esta publicação: