O que significam os nomes dos carros da Porsche

Por que os modelos 356 e 911 carregam tais combinações de números? Por que o Taycan, primeiro elétrico da Porsche, foi assim batizado? O que significa Boxster?

Redação
Compartilhe esta publicação:
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Da esq. para dir.: o designer Erwin Komenda, Ferry Porsche e Ferdinand Porsche ao lado do primeiro exemplar do 356, em 1948

Acessibilidade


Por que os modelos 356 e 911 carregam tais combinações de números? Por que o Taycan, primeiro elétrico da Porsche, foi assim batizado? O que significa Boxster?

Para responder, a marca alemã publicou um guia explicando o porquê dos nomes de seus modelos.

Leia mais: Porsche Macan fica mais potente e equipado antes de nova geração estrear, em 2023

Criada em 1931 por Ferdinand Porsche para fornecer serviços de consultoria em engenharia, foi somente em 1948 que a empresa virou fabricante de automóveis, estreando com o 356.

“Àquela altura, um intrigante sistema de numeração já estava bem estabelecido na companhia. Este método interno deu a cada projeto e pedido um número consecutivo. Em 1948, os números atingiram 356”, revela a Porsche.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

911

“1964 viu o lançamento do ‘Type 901’, fazendo sua estreia no Salão de Paris. Após o show, no entanto, um imprevisto veio à tona quando a Peugeot reivindicou os direitos legais de usar números de três dígitos contendo um zero no meio. Já no meio do lançamento, a oportunidade de criar um novo número havia passado. Com uma exibição típica da engenhosidade da Porsche – e com a fonte ‘1’ já projetada para o novo modelo – tomou-se a decisão de renomear o veículo para ‘911’, e assim a lenda nasceu. Com modelos como 924, 928 e 944 se juntando ao 911 nos anos seguintes, o número de três dígitos começando com um ‘9’ tornou-se sinônimo do caráter esportivo da marca Porsche”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche 911

Spyder

“Originário de um tempo de antes mesmo de os carros existirem, o termo ‘spider’ ou ‘spyder’ tornou-se amplamente utilizado por muitos fabricantes quando se referem a um roadster. Sua jornada para se tornar associado aos carros conversíveis remonta à era das carruagens puxadas por cavalos em 1800, vindo de um termo de fabricação para descrever uma carruagem aberta para duas pessoas. Na Porsche, o termo é atribuído aos seus carros esportivos abertos de motor central. Em 1953 – quando a convenção original de nomenclatura de números ainda era usada – o lendário 550 Spyder dominou em forma de carro de corrida, conquistando vitórias em classes como Le Mans e Carrera Panamericana”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche 550 Spyder 1953

718

“Seu significado remete ao lendário carro de corrida de quatro cilindros e motor central 718, que apareceu pela primeira vez nas 24 Horas de Le Mans de 1957. Hoje em dia, o 718 é um roadster de motor central que leva o espírito esportivo daquele ícone do automobilismo e o transfere para as estradas atuais”

Targa

“Instantaneamente reconhecível através de cada uma de suas oito gerações desde a primeira aparição do nome Targa, em 1965, esta versão descapotável do 911 caracteriza-se pelo seu distinto teto. O nome foi inspirado na lendária corrida de estrada siciliana, a Targa Florio. A palavra italiana Targa significa ‘placa’ ou ‘prato’ em inglês”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche 911 GTS Targa

Carrera

“O nome Carrera (espanhol para ‘corrida’) é usado nas versões mais potentes da linha 911 e comemora o sucesso da Porsche na Carrera Panamericana – a famosa corrida de resistência mexicana, de fronteira a fronteira, onde a marca alcançou muito sucesso com o 550 Spyder na década de 1950”.

Boxster

“A palavra Boxster deriva de uma fusão de seu tipo de motor Boxer (assim chamado porque cada par de pistões se move para dentro e para fora como um boxeador) e aquele design robusto de roadster. Este carro de motor de seis cilindros refrigerado a água, saiu da linha de produção pela primeira vez em 1996. Imediatamente estabeleceu novos padrões de desempenho e segurança para o segmento de roadsters”.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Porsche Boxster 1996

Cayenne

“Quando o Cayenne estreou, em 2002, se tornou na época o terceiro modelo da linha de produtos Porsche – ao lado do 911 e do Boxster. Seu nome deriva da picante pimenta de Caiena, uma escolha ousada e relevante para este viajante intrépido de natureza ardente”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche Cayenne GT Turbo

Cayman

“Seu nome deriva do crocodilo sul-americano Caiman. Quando foi lançado, em 2006, juntou-se ao Boxster e ao 911 como mais um carro esportivo de destaque na linha Porsche”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche 718 Cayman GT4 RS

Panamera

“É justo dizer que a Porsche tem uma grande dívida com o legado da Carrera Panamericana. Além do nome Carrera, agora associado ao 911, é também de onde o Panamera recebeu seu nome. A corrida, realizada em sua forma original entre 1950 e 1954, era sobre resistência, velocidade e confiabilidade – atributos que podem descrever esse modelo”.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche Panamera 4 E-Hybrid

Macan

“Quando o Macan foi colocado à venda, em 2015, as pessoas imediatamente coçaram a cabeça, perguntando-se sobre a proveniência do nome do modelo – que vem da palavra tigre em indonésio e remete à ferocidade.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche Macan

Taycan

“Quando foi lançado, em 2019, o primeiro Porsche totalmente elétrico garantiu um nome digno de suas qualidades eletrizantes. A palavra Taycan deriva de dois termos de origem turca, traduzidos aproximadamente como ‘alma de um jovem cavalo espirituoso’. É uma frase que simboliza a personalidade do Porsche elétrico – animado, vigoroso, ágil, de espírito livre e incansável. Desde o seu lançamento, a palavra assumiu mais associações positivas em outras línguas. Em japonês, por exemplo, ‘taikan’ aproximadamente significa ‘experiência física’.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Porsche Taycan

 

Compartilhe esta publicação: