Venda de veículos novos no Brasil cresce em julho

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, porém, o resultado ainda é negativo, com queda de 11,96% nos licenciamentos

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Uma fila de veículos

Acessibilidade


As vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no Brasil em julho cresceram 2,21% ante junho, para 181.982 unidades, segundo dados informados hoje (02) pela associação de concessionárias, Fenabrave. Na comparação com julho de 2021, houve alta de 3,74%.

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, porém, o resultado ainda é negativo, com queda de 11,96% nos licenciamentos, totalizando quase 1,1 milhão de unidades, informou a entidade.

“Com a nova redução do IPI, para automóveis, que passou de 18,5% (desde 25 de fevereiro) para 24,75% (a partir de 1 de agosto), anunciada pelo governo federal, a entidade espera que os volumes de emplacamentos possam crescer…finalizando o ano dentro das expectativas”, afirmou a Fenabrave em comunicado à imprensa.

O governo federal publicou na sexta-feira decreto com redução adicional do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos, o que deve impulsionar resultados de empresas como locadoras de carros, um dos principais clientes das montadoras no país.

A Fenabrave espera um resultado “equivalente” a 2021 nas vendas de carros e comerciais leves este ano, ou, “na melhor das hipóteses”, um crescimento de mais de 4%, para cerca de 2,06 milhões de unidades.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Se a produção retornar à sua normalidade, e com mais esse estímulo do governo, talvez consigamos atingir esse patamar”, disse José Andreta Jr., presidente da Fenabrave, no comunicado.

Ele citou que os números de julho tiveram comportamentos diferentes dependendo do segmento, com os autoveículos apresentando crescimento na comparação mensal enquanto ônibus e motocicletas tiveram queda.

Andreta Jr. afirmou que motocicletas tiveram problemas de produção em julho e enfrentaram de alta no custo do crédito. As vendas de motos no país despencaram quase 11% no mês passado ante junho e caíram 4,4% na comparação anual, para 107,6 mil unidades. No ano, porém, este é o único segmento da Fenabrave a mostrar crescimento, de 18,2% ante os sete primeiros meses de 2021.

Compartilhe esta publicação: