Butantan pede autorização para mais 4,8 milhões de doses da CoronaVac

Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

O presidente do Butantan, Dimas Covas, disse esperar que a Anvisa autorize o novo lote de vacinas Coronovac rapidamente

O Instituto Butantan pediu hoje (18) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, disse o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista coletiva.

Também presente na coletiva, realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, o presidente do Butantan, Dimas Covas, disse esperar que a Anvisa autorize o novo lote rapidamente e que, depois desse novo aval, que envolve doses envasadas no Brasil, não serão necessários novos pedidos à agência reguladora.

LEIA MAIS: CoronaVac é mais eficaz com intervalo maior entre doses, diz Sinovac

PREOCUPAÇÃO

A demora do governo da China em autorizar a exportação para o Brasil de matéria-prima que será usada no envase no país de doses da CoronaVac preocupa e pode afetar o cronograma de entrega de doses ao Ministério da Saúde, reconheceu Dimas Covas.

Covas disse que o cronograma atual de entregas acertado com o ministério será mantido, desde que um novo lote de matéria-prima chegue ao Brasil até o final deste mês.

“Preocupa sim a chegada da matéria-prima. Essa matéria-prima precisa chegar para não parar o processo de produção, e esperamos que isso aconteça muito rapidamente, porque se chegar antes do fim deste mês, nós manteremos o cronograma de entrega de vacinas”, disse o presidente do Butantan.

Ele explicou que as cerca de 6 milhões de doses da CoronaVac que ontem (18) deram início à vacinação no país foram importadas prontas da China e acrescentou que as 4,8 milhões de doses foram envasadas no Brasil pelo Butantan.

O instituto importa da China litros da vacina concentrada e envasa o imunizante em suas instalações, transformando, segundo Covas, mil litros de vacina concentrada em 1 milhão de doses.

Em entrevista coletiva ontem, Covas disse que o Butantan aguarda autorização do governo chinês para trazer ao Brasil matéria-prima equivalente a mais de 11 milhões de doses da CoronaVac, que já está sendo aplicada em profissionais de saúde de São Paulo desde ontem, após autorização para uso emergencial dada pela Anvisa.

A vacinação nos demais Estados do país está prevista para começar às 17h de hoje. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).