CoronaVac tem eficácia de 78% na prevenção da Covid-19 em estudos no Brasil

Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

O Butantan é responsável pelos estudos clínicos com a CoronaVac no Brasil e já está envasando a vacina em suas instalações em São Paulo

A CoronaVac, potencial vacina contra a Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, é de 78% a 100% eficaz na prevenção da doença causada pelo coronavírus, mostraram dados dos estudos clínicos em Fase 3 feitos no Brasil pelo Instituto Butantan, confirmou hoje (7) o governador de São Paulo, João Doria.

A CoronaVac mostrou ser 100% eficaz na prevenção de casos graves e moderados da doença, disse o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, que acrescentou que a vacina também evitou internação hospitalar em todos os voluntários do estudo clínico em Fase 3 que contraíram a doença.

LEIA MAIS: Pazuello diz que Brasil está preparado para começar vacinação ainda em janeiro

Ele afirmou que o Butantan teve hoje a reunião inicial com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prevista no protocolo da agência para um pedido de uso emergencial da vacina e deve ter novo encontro com o órgão regulador ainda hoje.

O governador também anunciou que o Instituto Butantan, parceiro da Sinovac, iniciou pedido de uso emergencial da CoronaVac junto à Anvisa, fazendo dela a primeira vacina a solicitar aprovação para ser usada no país.

O Butantan é responsável pelos estudos clínicos com a CoronaVac no Brasil e já está envasando a vacina em suas instalações em São Paulo.

O Butantan já tem em solo brasileiro 10,8 milhões de doses da CoronaVac. A expectativa do instituto é chegar a 46 milhões de doses em janeiro e 100 milhões em maio. A vacina é aplicada em duas doses com intervalo de duas semanas entre elas.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que participará da coletiva hoje, reiterou na véspera (6) que a vacinação no Estado começará dia 25 de janeiro.

VEJA TAMBÉM: Presidente da Moderna diz que vacina contra Covid-19 provavelmente protegerá por 2 anos

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em pronunciamento ontem em rede nacional de rádio e TV, citou a CoronaVac entre os imunizantes que estarão no Programa Nacional de Imunização e previu o início da vacinação para este mês. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).