Taxa de mortalidade de Covid-19 da África é maior do que a global

Tendência está alarmando especialistas, disse o chefe da entidade de controle de doenças do continente.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Tiksa Negeri/Reuters
Tiksa Negeri/Reuters

“A taxa de fatalidade está começando a ficar muito preocupante e inquietante para todos nós”, disse John Nkengasong

Acessibilidade


A taxa de mortalidade de casos de coronavírus da África está em 2,5%, mais alta do que o nível global de 2,2%, uma tendência que está alarmando especialistas, disse o chefe da entidade de controle de doenças do continente hoje (21).

No início da pandemia, a taxa de mortalidade africana estava abaixo da média global, disse o chefe do Centro para Controle e Prevenção de Doenças da África (CDC), John Nkengasong, aos repórteres.

LEIA MAIS: Pfizer começa a imunizar voluntários que tomaram placebo em teste no Brasil de vacina contra Covid

“A taxa de fatalidade está começando a ficar muito preocupante e inquietante para todos nós”, disse.

O número de nações africanas com uma taxa de mortalidade maior do que a média global atual está aumentando, acrescentou ele. Há 21 países no continente com uma taxa de mortalidade superior a 3%, entre eles Egito, República Democrática do Congo e Sudão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ao longo da última semana, os casos diminuíram em quase 7% na comparação com a semana anterior, enquanto as mortes aumentaram 10%, de acordo com dados do CDC africano. A África registrou 3,3 milhões de infecções de coronavírus e 81 mil mortes até hoje, segundo a agência.

O continente relatou 207 mil casos novos na última semana, 100 mil deles só na África do Sul, detalhou Nkengasong. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: