União Europeia prepara certificado de viagem anti-Covid-19 para verão no hemisfério norte

O Parlamento Europeu afirma que o documento não deve ser considerado um passaporte de vacina

Redação
Compartilhe esta publicação:
Europa Press News/Getty
Europa Press News/Getty

Embora a União Europeia já esteja preparando o documento, o Parlamento Europeu afirma que ninguém terá obrigação de usar o certificado

Acessibilidade


A UE (União Europeia) acredita que finalizará em breve a preparação de um certificado que poderia permitir aos cidadãos viajarem mais facilmente neste verão no bloco de 27 nações, disse o Executivo da UE hoje (11) após uma reunião com ministros de Assuntos Europeus.

O passe permitiria que as pessoas vacinadas e recuperadas da Covid-19 ou com exames negativos cruzassem fronteiras de um bloco onde as restrições à circulação afligem os setores de viagens e turismo há mais de um ano.

LEIA TAMBÉM: Governo destina mais R$ 5,5 bilhões para vacinas contra Covid-19

“Isto é uma prioridade para nossos cidadãos, e portanto acredito que providenciaremos (o certificado) antes do verão”, disse o vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, após a reunião em Bruxelas. Ele disse que acredita em uma aplicação total até o verão.

Um projeto-piloto de duas semanas para testar a tecnologia em alguns países por vez começou ontem (10), informou a Comissão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Mas governos da UE, o Parlamento Europeu e a Comissão precisam combinar o desenho do certificado e decidir se exames mais rápidos, mas menos precisos, de antígeno de Covid-19 podem ser incluídos.

Sefcovic pediu que todos os lados trabalhem juntos para completar o mais rápido possível o trabalho legislativo, assim como o técnico, observando a complexidade da empreitada.

“Para o certificado funcionar, tem que estar em smartphones, tem que ser interoperável, possível de verificar. Então é uma tarefa e tanto fazê-lo no nível pan-europeu”, disse Sefcovic.

O Parlamento Europeu diz que ninguém terá obrigação de usar o certificado e que ele não deve ser considerado um passaporte de vacina. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: