Vacina da Pfizer pode ser mantida entre 2ºC e 8ºC por até 31 dias, diz Anvisa

A vacina vinha sendo aplicada apenas nas capitais, mas a nova determinação pode permitir o envio para outras cidades.

Redação
Compartilhe esta publicação:
DadoRuvic/Reuters
DadoRuvic/Reuters

A vacina vinha sendo aplicada apenas nas capitais, mas a nova determinação pode permitir o envio para outras cidades

Acessibilidade


A vacina desenvolvida por Pfizer e BioNTech contra a Covid-19 pode ser mantida em temperatura de 2°C a 8°C por até 31 dias, informou hoje (28) a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), ampliando prazo que anteriormente era de apenas 5 dias.

“Para aprovar as novas condições, a equipe técnica da Anvisa avaliou os estudos de estabilidade apresentados pelo laboratório desenvolvedor da vacina. Os estudos de estabilidade servem para definir por quanto tempo e em quais condições a vacina mantém suas características sem alteração”, disse a agência em nota.

LEIA MAIS: Agência dos EUA aprova uso emergencial para medicamento GSK-Vir contra Covid-19

A vacina da Pfizer exige armazenamento em temperaturas ultrabaixas (-70°C) para períodos maiores de tempo, mas novas pesquisas apontaram que o imunizante manteve sua eficácia quando guardado entre 2°C a 8°C por períodos determinados.

No Brasil, a vacina vinha sendo aplicada apenas nas capitais devido à logística de distribuição e armazenamento, mas a nova determinação da Anvisa pode permitir o envio para outras cidades. O país recebeu até o momento 3,4 milhões de doses da vacina, de um total contratado de 200 milhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além das vacinas da Pfizer, o Brasil conta para sua campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 com a CoronaVac, do laborarório chinês Sinovac e que está sendo envasada pelo Instituto Butantan, e com a vacina da AstraZeneca desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, que é envasada pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: