Anvisa recebe pedido de uso emergencial da Covaxin

Procedimento ocorre em meio às investigações da CPI da Covid no Senado sobre o contrato da vacina indiana.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Bharat Biotech
Reprodução/Bharat Biotech

O pedido de uso emergencial da Covaxin ocorre em meio às investigações da CPI da Covid no Senado sobre o contrato da vacina indiana

Acessibilidade


A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu hoje (29) o pedido de uso emergencial da vacina indiana contra Covid-19 Covaxin, apresentado pela empresa Precisa Medicamentos, representante no país do laboratório indiano Bharat Biotech.

O pedido de uso do imunizante ocorre em meio às investigações da CPI da Covid no Senado e de demais órgãos de controle sobre suspeitas de irregularidades envolvendo as tratativas com o governo federal para compra da Covaxin.

LEIA MAIS: Estudo aponta que 3ª dose de vacina da AstraZeneca produz forte resposta imune

Essas suspeitas trouxeram o presidente Jair Bolsonaro para o centro do debate na CPI. Ele teria sido informado das alegadas irregularidades, conforme depoimento do deputado Luís Miranda (DEM-DF) e do irmão dele, o servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda, à CPI na semana passada.

Em comunicado, a Anvisa disse que vai iniciar a triagem dos documentos presentes no pedido de autorização para uso emergencial.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“As primeiras 24 horas serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e verificar se os documentos necessários para avaliação estão disponíveis. Se houver informações importantes faltando, a Anvisa pode solicitar as informações adicionais ao laboratório”, disse a agência.

Em março, por unanimidade, a Anvisa rejeitou pedido de importação da Covaxin. Mesmo assim, o Ministério da Saúde manteve o empenho para pagar R$ 1,6 bilhão por 20 milhões de doses da vacina indiana.

Segundo uma fonte, a pasta avalia rescindir o contrato para a compra da Covaxin. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: