Brasil começa a aplicar 3ª dose em maiores de 80 e imunossuprimidos em setembro

Esse período foi escolhido pois espera-se que até lá todos os brasileiros com mais de 18 anos de idade tenham recebido ao menos uma dose de um imunizante contra o coronavírus

Redação
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Ministro da Saúde afirmou que a vacina da Pfizer feita em parceria com a alemã BioNTech será usada na aplicação dessas doses de reforço

Acessibilidade


O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou na noite de ontem (24) que a aplicação de uma dose de reforço da vacina contra Covid-19 em pessoas imunossuprimidas e maiores de 80 anos começará no dia 15 de setembro.

A jornalistas em Brasília, o ministro explicou que a data foi escolhida pois espera-se que até lá todos os brasileiros com mais de 18 anos de idade tenham recebido ao menos uma dose de um imunizante contra o coronavírus. O ministro disse ainda que a vacina da Pfizer feita em parceria com a alemã BioNTech será usada na aplicação dessas doses de reforço.

LEIA TAMBÉM: O herói esquecido da Covid: a história do cientista cuja descoberta viabilizou as vacinas

“Em função sobretudo da Delta e da necessidade de aumentar a proteção da população, estávamos tratando de reforço de dose. E esse reforço será direcionado primeiro àqueles indivíduos imunossuprimidos, por exemplo, pacientes transplantados. Então esses que são imunossuprimidos, desde que tenham tomado uma dose de vacina depois de 21 dias, nós vamos aplicar um reforço e a vacina será a vacina da Pfizer“, explicou o ministro.

“O outro são os idosos, acima de 80 anos. Inicialmente, vamos aplicar também uma dose da vacina da Pfizer para aqueles que tomaram a última dose há seis meses”, acrescentou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo dados do Ministério da Saúde, até ontem (24) 123,9 milhões de pessoas haviam recebido ao menos uma dose da vacina contra Covid-19 – ou cerca de 59% da população – enquanto 55,7 milhões estavam com esquema vacinal completo – equivalente a cerca de 26,5% da população total do país. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: