Pfizer apresenta dados de teste para dose de reforço de vacina contra Covid-19

A terceira aplicação desencadeou anticorpos neutralizantes consideravelmente maiores contra as variantes Beta e Delta

Redação
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

No teste, a terceira dose desencadeou anticorpos neutralizantes consideravelmente maiores contra o vírus Sars-CoV-2 original na comparação com os níveis observados após a série primária de duas doses

Acessibilidade


A Pfizer e a parceira alemã BioNtech disseram hoje (16) que apresentaram dados primários de um teste de estágio inicial à FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos), como parte de uma solicitação que pede autorização para uma dose de reforço de sua vacina contra a Covid-19.

Os dados também serão submetidos à EMA (Agência Europeia de Medicamentos) e a outras autoridades regulatórias nas próximas semanas, disseram as farmacêuticas.

LEIA TAMBÉM: Cientistas brasileiros encontram mutação convergente da variante P.1 com a Delta

No teste, a terceira dose desencadeou anticorpos neutralizantes consideravelmente maiores contra o vírus Sars-CoV-2 original na comparação com os níveis observados após a série primária de duas doses, assim como contra as variantes Beta e Delta, segundo os laboratórios.

Todos os pacientes receberam a terceira dose da vacina da Pfizer/BioNtech de oito a nove meses depois da administração da segunda dose.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os resultados de um teste de estágio avançado de avaliação da terceira dose são esperados para breve e serão apresentados a FDA, EMA e outras autoridades regulatórias de todo o mundo, disseram as empresas.

Na semana passada, autoridades regulatórias dos EUA autorizaram uma terceira dose das vacinas contra Covid-19 da Pfizer/BioNtech e da Moderna para pessoas com sistemas imunológicos comprometidos que provavelmente têm uma proteção menor dos regimes de duas doses. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: