Tendências no tratamento de calvície em 2022

Conheça maneiras indicadas pela International Society of Hair Restoration Surgery

Márcio Crisóstomo
Compartilhe esta publicação:
Dragana991/Getty
Dragana991/Getty

Em levantamento global, a International Society of Hair Restoration Surgery levantou as principais tendências no tratamento de calvície em 2022

Acessibilidade


Todas as áreas da medicina evoluem com base em evidências, pesquisas e dados. Uma das formas principais de coletar dados são os censos realizados entre médicos, que indicam o que mais foi utilizado em uma especialidade e as suas tendências. A ISHRS (International Society of Hair Restoration Surgery), a principal entidade médica para transplante capilar e tratamento da calvície no mundo, divulgou recentemente o censo realizado com cirurgiões do mundo todo refletindo a atividade de 2020/2021 e apresentamos algumas conclusões a seguir.

Segundo dados da ISHRS, o tamanho do mercado para a cirurgia da restauração capilar em 2021 foi de US$ 4,5 Bilhões, e a tendência é crescer mais, com a maior aceitação e divulgação deste tipo de tratamento. Mais da metade dos pacientes está entre 30 e 49 anos, sendo que a grande maioria dos pacientes que se submetem ao transplante capilar (87,3%) são do sexo masculino.

Leia mais: Alopecia feminina e o Oscar 2022

A pandemia afetou de forma significativa a especialidade. Ocorreu um aumento de 14% no número de pacientes procurando tratamentos clínicos (não cirúrgicos), devido a um aumento da queda dos fios, tanto ocasionado por quem teve infecção por Covid-19, como pelo aumento no estresse relacionado ao período, como já discutimos aqui na nossa coluna.

Outro dado interessante relacionado à pandemia é que 25% dos cirurgiões afirmou que a maioria de seus novos pacientes indicou que reuniões regulares de Zoom/vídeo influenciaram decisão de procurar um tratamento. Segundo a Presidente da ISHRS, Dra. Nilofer Farjo, cirurgiã da Inglaterra, “Ficar mais ciente de sua aparência durante as reuniões de Zoom afetou a decisão de mais de um quarto dos pacientes que realizaram transplante capilar”, e ela ainda complementa que o período de trabalho em casa também foi favorável para esta decisão, pois facilitou a discrição no período pós-operatório.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Uma cirurgia que apresentou aumento de aproximadamente 37% em sua procura foi a feminilização facial em pacientes transexuais femininas, um procedimento que em crescido muito nos últimos anos e que discutiremos mais em uma coluna específica.

A técnica mais utilizada no mundo, 75% das cirurgias em homens, é á técnica FUE (Follicular Unit Extraction), onde as unidades de fios são retiradas uma a uma do couro cabeludo, evitando a necessidade de cortes e de uma cicatriz linear. Estas vantagens tornaram o procedimento mais atrativo e tendo fator decisivo em uma maior aceitação da especialidade, tanto por pacientes, como por novos cirurgiões.

Estas são algumas das principais conclusões do ISHRS Practice Census, dados que norteiam o desenvolvimento da especialidade e os mais interessantes serão discutidos mais detalhadamente nas nossas próximas colunas.

Márcio Crisóstomo é cirurgião plástico formado no Instituto Ivo Pitanguy, especialista em Transplante Capilar nos Estados Unidos pelo American Board of Hair Restoration Surgery, com pós-graduação em Surgical Leadership pela Harvard Medical School.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: