Vacinas evitaram quase 20 milhões de mortes por Covid, mostra estudo

Estudo da Lancet é o primeiro a quantificar o impacto das vacinas na pandemia de Covid-19 em nível global por meio de modelagem

Madeline Halpert
Compartilhe esta publicação:
Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Vacinas reduziram pela metade o número potencial de mortes globais por Covid-19

Acessibilidade


As vacinas de Covid-19 salvaram quase 20 milhões de vidas em todo o mundo durante o primeiro ano em que foram lançadas, de acordo com um estudo de modelagem matemática publicado na revista Lancet na quinta-feira (23). De acordo com a pesquisa, as vacinas reduziram pela metade o número potencial de mortes globais pelo coronavírus durante esse período.

As vacinas evitaram 19,8 milhões de um potencial de 31,4 milhões de mortes durante o primeiro ano após terem sido introduzidas pela primeira vez em dezembro de 2020, de acordo com o estudo, que revisou os registros de mortes por Covid e dados de mortes de 185 países e territórios.

Leia mais: Foi vacinado e pegou Covid? Você pode estar mais protegido

As vacinas salvaram mais vidas em países de renda alta e média-alta, onde os pesquisadores estimaram que o aumento do acesso às vacinas evitou 12,1 milhões de mortes.

O estudo mostra o “impacto global notável” que a vacinação teve na pandemia, disse Oliver Watson, principal autor do estudo e pesquisador do Centro de Pesquisa Médica para Análise Global de Doenças Infecciosas do Imperial College London.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Quase 600 mil mortes a mais poderiam ter sido evitadas se a meta da OMS (Organização Mundial da Saúde) de vacinar 40% da população em todos os países até o final de 2021 tivesse sido alcançada, descobriram os pesquisadores.

Enquanto quase 80% das mortes foram evitadas por causa da proteção direta fornecida pela vacinação, 4,3 milhões de mortes foram evitadas devido à proteção indireta oferecida por outros vacinados, o que levou a uma diminuição na transmissão de Covid e redução da carga nos sistemas de saúde, descobriram os pesquisadores.

Leia mais: Ministério da Saúde libera 4ª dose de vacina contra Covid para maiores de 40 anos

Vários estudos regionais estimaram o número de vidas salvas pela vacinação contra a Covid, mas o estudo da Lancet é o primeiro a quantificar o impacto das vacinas em nível global por meio de modelagem.

Um estudo da Kaiser Family Foundation descobriu que quase 250 mil mortes nos EUA poderiam ter sido evitadas com uma vacinação mais oportuna entre junho de 2021 e abril de 2022.

Os pesquisadores estimaram que, em dezembro de 2021, um ano após a primeira vacina ser administrada, cerca de 55% da população global recebeu pelo menos uma dose de vacina, enquanto 45% recebeu duas vacinas. Ainda assim, mais de 3,5 milhões de pessoas morreram do coronavírus desde que as vacinas se tornaram disponíveis. Muitas outras dessas mortes poderiam ter sido evitadas se as vacinas tivessem sido distribuídas mais rapidamente em todo o mundo, argumentaram os pesquisadores.

Os EUA e outros países de alta renda pretendiam doar 2 bilhões de doses de vacinas para países de baixa e média renda até o final de 2021 por meio do programa Covax. Eles acabaram entregando pouco menos da metade desse número. Os pesquisadores disseram que a distribuição e entrega de vacinas devem ser “aumentadas” em todo o mundo e os esforços para combater a desinformação devem ser intensificados para melhorar a aceitação da vacina e ajudar a prevenir mais mortes por Covid.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: