OMS declara varíola dos macacos emergência global

A organização anunciou hoje (23) que a doença tem “um risco claro de maior disseminação internacional”

Robert Hart
Compartilhe esta publicação:

A varíola dos macacos se espalhou por décadas em partes da África Central e Ocidental, onde foi amplamente ignorada pelo resto do mundo

Acessibilidade


A designação de emergência global da OMS é o nível de alerta mais alto e foi atribuído a seis surtos de doenças desde sua introdução, em 2007, incluindo Ebola, Zika, Covid-19 e poliomielite.

O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus – que em junho disse ter “sérias preocupações”, mas não considerou uma emergência –, reuniu um comitê de emergência de especialistas na quinta-feira (21) para discutir a escalada do surto.

O comitê não chegou a um consenso sobre a varíola dos macacos representar uma emergência de saúde pública de interesse internacional, mas Tedros optou por declarar que sim, de qualquer maneira, dizendo: “Em suma, temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo”.

A varíola dos macacos se espalhou por décadas em partes da África Central e Ocidental, onde foi amplamente ignorada pelo resto do mundo.

Ela se espalha principalmente através do contato físico próximo e geralmente causa uma doença leve que desaparece por conta própria, embora possa ser fatal e causar sintomas agonizantes.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

É um parente próximo da varíola, um dos maiores assassinos da humanidade e a única doença humana erradicada através da vacinação, e especialistas alertam que o vírus pode se espalhar globalmente para preencher o vazio que deixou para trás.

Devido à sua proximidade com a varíola, o vírus é relativamente bem compreendido. Vacinas e tratamentos para combater a varíola provavelmente funcionam contra a variação e estão sendo usados ​​para controlar o surto.
Os suprimentos globais são severamente limitados e os dados sobre seu uso na varíola dos macacos são escassos.

Semelhante à pandemia de Covid-19, países ricos como os EUA agiram rapidamente para garantir o estoque disponível, mas enfrentam escassez por meses até que sejam entregues e estão priorizando a distribuição das primeiras doses a grupos de alto risco. Os países menos ricos, principalmente os africanos onde a doença se espalhou por anos, estão lutando para conseguir qualquer coisa.

Medidas de saúde direcionadas

A esmagadora maioria dos casos de varíola em todo o mundo foi identificada entre homens que fazem sexo com homens, particularmente aqueles que têm parceiros sexuais múltiplos ou anônimos.

A doença não é conhecida por ser sexualmente transmissível – algo que os especialistas estão investigando –, mas o surto está sendo causado pelo contato sexual.

O governo federal dos Estados Unidos expandiu o escopo de sua campanha de vacina contra a varíola em junho para recomendar que aqueles com maior risco de contrair a doença sejam vacinados e estão mirando nesses grupos.

As autoridades de saúde pública tiveram o cuidado de evitar linguagem que possa estigmatizar homens gays e bissexuais – uma estratégia de saúde pública prejudicial e ineficaz –, mas especialistas criticaram as mensagens fracas e enganosas sobre quem corre mais risco da doença.

Tedros disse que o padrão de transmissão “representa tanto uma oportunidade para implementar intervenções de saúde pública direcionadas quanto um desafio, porque, em alguns países, as comunidades afetadas enfrentam discriminação com risco de vida”.

Mais de 16 mil. Esse é o número de casos de varíola dos macacos relatados à OMS este ano em 75 países e territórios diferentes, disse Tedros.

A verdadeira extensão do surto

A lenta implementação de testes e vigilância prejudicou a capacidade de monitorar o surto nos países ricos. A capacidade de teste também é geralmente muito limitada em países mais pobres e Tedros disse que as informações fornecidas à OMS por países da África Ocidental e Central permanecem “muito escassas”. A escassez de informações representa um “desafio substancial para projetar intervenções” para controlar o surto, acrescentou Tedros.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: