Guia traz roteiro para 24 horas em Tóquio

Getty Images
Uma das principais áreas verdes do centro de Tóquio, o Parque Yoyogi funciona como um respiro na capital frenética

Sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020, a capital japonesa Tóquio promete fazer história com transporte público eficiente, estruturas modernas e um dos melhores índices de segurança do mundo.

LEIA MAIS: Guia traz roteiro para 24 horas em Frankfurt

Veja, na galeria de fotos a seguir, nossa sugestão de roteiro:

  • 5h

    Mercado de peixes de Toyosu

    Ao lado da Vila Olímpica está o maior mercado de peixes do mundo: Toyosu, aberto em outubro do ano passado, na Baía de Tóquio. Ele substitui o tradicional mercado de Tsukiji, que encerrou suas atividades em agosto de 2018 após 83 anos. A ideia de chegar bem cedo é acompanhar o mítico leilão de atum, que negocia as peças que abastecem os mais refinados restaurantes da cidade. Madrugar em Tóquio pode ser algo natural enquanto você entra no fuso do outro lado do mundo.

    @toyosu_tokyo

  • 7h

    Às margens do rio Sumida

    Para driblar as multidões que batem cartão no templo budista de Senso-ji, no bairro de Asakusa, próximo ao Rio Sumida, a dica é percorrer o local antes das 8h da manhã. Trata-se de um bom ponto de partida para desbravar outros cartões-postais da região, como o belíssimo prédio do Centro Cultural e Turístico de Asakusa, do arquiteto Kengo Kuma. Do outro lado do rio, não perca o Asahi Beer Hall, projetado por Phillippe Starck, e a Tokyo Skytree, a segunda torre mais alta do mundo, com 634 metros.

    @asahibeer

  • 9h

    Formigueiro humano

    Entre as duas estações de metrô mais movimentadas do mundo (Shinjuku e Shibuya), está o cruzamento de Shibuya, com rios de gente atravessando as cinco faixas de pedestre (uma delas na diagonal). Um bom ponto para apreciar essa massa humana se deslocando é o segundo andar da Starbucks em uma das esquinas. Nas redondezas, há um local que costuma enlouquecer quem gosta de vinil: Tower Records, loja com nove andares de discos e livros e um café no 2º andar.

    @tower_shibuya

  • 11h

    Área verde e santuário

    Uma das principais áreas verdes do centro de Tóquio, o Parque Yoyogi funciona como um respiro na capital frenética. No sul do parque ficam os ginásios que Kenzo Tange (1913-2005, prêmio Pritzker em 1987) projetou para a Olimpíada de 1964. Ao norte, a antiga Vila Olímpica. O parque também é endereço do Meiji Jingu, santuário xintoísta dedicado ao imperador Meiji (1852-1912). O templo foi bombardeado na 2ª Guerra Mundial e reconstruído em 1958.

  • 15h

    Grifes, eletrônicos e mangá

    A região de Ginza concentra marcas como Apple, Louis Vuitton (loja do arquiteto Jun Aoki), Rolex e Cartier. As grifes mais badaladas do mundo também são o cartão de visita de Omotesando, endereço da Prada e do Audi Forum (prédio de arquitetura arrojada, conhecido como Iceberg). Em Omotesando Hills, o desfile continua com Yves Saint Laurent, Dolce & Gabbana e Jimmy Choo. Para quem procura eletrônicos, vá para Akihabara, famoso por ser ponto de encontro dos amantes de mangá e cosplay.

  • 17h

    Ilha artificial

    Tóquio resolveu duas questões em uma obra só: ilha de Odaiba, de 1985. A cidade não tinha onde colocar lixo e não tinha como crescer a área para shoppings e parques. Então, fizeram essa ilha de entulho, que virou um dos lugares mais valorizados da metrópole, endereço da sede da TV Fuji e do Tokyo International Exhibition Center, também conhecido como Tokyo Big Sight. Aproveite o fim da tarde para atravessar a ponte Rainbow a pé e curta as cores do pôr do sol.

  • 20h

    Jantar com Tóquio aos seus pés

    Localizado no coração financeiro da cidade, em um dos hotéis mais luxuosos de Tóquio, o restaurante Sushi Shin by Miyakawa (chef com três estrelas no Michelin) abriu suas portas no 38º andar do Mandarin Oriental no dia 6 de abril. Ao todo, são 12 opções, entre restaurantes e bares. Destaque para outros três estrelados do Michelin no Mandarin: Signature (cozinha francesa); Sense (cantonesa); e o Tapas Molecular Bar, do chef Ngan Ping Chow, de Hong Kong, com uma degustação para apenas oito pessoas.

    @mo_tokyo

5h

Mercado de peixes de Toyosu

Ao lado da Vila Olímpica está o maior mercado de peixes do mundo: Toyosu, aberto em outubro do ano passado, na Baía de Tóquio. Ele substitui o tradicional mercado de Tsukiji, que encerrou suas atividades em agosto de 2018 após 83 anos. A ideia de chegar bem cedo é acompanhar o mítico leilão de atum, que negocia as peças que abastecem os mais refinados restaurantes da cidade. Madrugar em Tóquio pode ser algo natural enquanto você entra no fuso do outro lado do mundo.

@toyosu_tokyo


Reportagem publicada na edição 68, lançada em maio de 2019


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).