Fundadora da Natalia Beauty | Academy conta como desafiou os efeitos da crise na área da beleza

Divulgação
Divulgação

Natalia Martins, na sede da NBA, em São Paulo, com o uniforme-pijama usado por toda a equipe

O medo se tornou um dos sentimentos mais presentes em todos nós desde que o coronavírus começou a fazer suas primeiras vítimas. A incerteza em relação ao futuro dos negócios, da vida e do planeta provocou angústia, ansiedade e estresse. Desestruturou planos, famílias, empresas e países. Congelou sonhos e paralisou milhões de pessoas, imobilizadas pelo medo. Mas não todas. Do caos emergiram as mentes resilientes que, por mérito, intuição, coragem ou obstinação arregaçaram as mangas e procuraram a luz no meio da escuridão (“porque sempre há luz”). Quando a encontraram, iluminaram seu caminho e o daqueles que tiveram a sorte de estar à sua volta.

Diante do abismo da incerteza, a empresária Natalia Martins transformou a iminência da queda no salto para voos mais altos. “Quando parecia que íamos cair, renascemos. Foi mágico”, define Natalia, fundadora da Natalia Beauty | Academy.

Self-made woman precoce, em plena pandemia ela dobrou o tamanho de sua “instagramável” sede em um bairro nobre de São Paulo, montou um departamento de marketing maior que o de muitas grandes empresas, criou e vendeu cursos online, desenvolveu uma linha de produtos e se prepara para abrir até o fim do ano dez unidades “express” em lugares estratégicos, como Avenida Paulista, Moema e Alphaville. “Teremos também em Miami, Londres e Dubai”, garante. “Esse foi o combustível para nossa retomada.”

Ela reconhece: “Está muito difícil para muita gente. Mas meu lema é olhar para o copo meio cheio: para as empresas que estão aumentando a equipe, o faturamento e as vendas e ficando mais conhecidas, criando oportunidades, ajudando mais pessoas neste período desafiador. Esse deve ser o grande incentivo para os empresários”.

Como qualquer empreendedor ou chefe de família, Natalia ficou assustada com o cenário nacional e global. “Não somos nem devemos querer ser super-heróis, temos nossas vulnerabilidades e fraquezas. Mas logo no início da crise decidi lutar. Passei a me fortalecer no pensamento de que esta empresa é o sonho da minha vida e vou fazer de tudo para que ela seja cada vez mais forte com tudo o que estiver ao meu alcance. Os tempos são difíceis, mas aprendi que, se o perfeito atrai, o imperfeito conecta. Então comecei a vibrar na frequência do otimismo, da esperança e da ação.”

Natalia conta que deixou seu espírito empreendedor e sua intuição “no comando” enquanto tomava todas as medidas necessárias para não colocar ela mesma nem seus colaboradores em risco de contágio. “Fechamos a clínica quando o atendimento presencial foi proibido e centramos esforços nos conteúdos online, nos cursos, no desenvolvimento de produtos com nossa marca.”

Além dos cursos online de design de sobrancelha e lábios, a empresa desenvolveu outros 15 de diferentes vertentes ligadas ao ramo da beleza, como marketing, negócios e mentoria – cada um custa R$ 3.500 e dura duas semanas. Trouxe da Ásia as fórmulas iniciais para o desenvolvimento no Brasil (em uma fábrica de Minas Gerais) de sua linha de produtos para a pele, maquiagem e pigmentos. “Vamos revolucionar a micropigmentação com uma ferramenta nova que eu redesenhei a partir de um modelo chinês que não era o ideal. Nossos dermocosméticos estão em fase de testes e devem ser lançados até outubro. Sem falar de nosso e-commerce, que só cresce.”

Para Natalia – que se tornou uma “embaixadora do empoderamento feminino”, não existe isso de “quando a pandemia acabar vou fazer isso”, “quando tiver vacina aquilo…”. Só há uma saída viável: “É se adaptar ao que está acontecendo aqui e agora. Nosso legado está só começando”.

* Infomercial® é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).