CEO da Bunge deixará cargo diante de pressão de investidores

Divulgação/Bunge
Soren Schroder continuará como presidente-executivo até que um sucessor seja nomeado

O presidente-executivo da empresa global do agronegócio Bunge, Soren Schroder, deixará o cargo, após meses de pressão de acionistas por mudanças na companhia, em meio a uma prolongada queda nos preços das commodities agrícolas.

LEIA MAIS: Bunge cede à pressão e inclui diretores no Conselho

A Bunge cedeu às demandas dos acionistas D.E. Shawn e Continental Grain em outubro, quando adicionou três conselheiros e disse considerar opções incluindo a sua venda.

No fim de dezembro, a empresa também indicou o presidente-executivo da companhia de agroquímicos, Syngenta, ao seu conselho.

A trading têm sofrido com os baixos preços das commodities e a atual guerra comercial que praticamente zerou as exportações agrícolas dos Estados Unidos à China.

A Bunge também recebeu algumas ofertas fracassadas de aquisição de rivais como a ADM e a trading de commodities Glencore.

A Bunge está aberta a retomar o contato tanto com a Glencore quanto com a ADM após a saída de Schroder, informou a “Bloomberg” no sábado (8), citando uma fonte com conhecimento da questão.

VEJA TAMBÉM: Bunge considera venda e conversa com investidores

Schroder, que atua como CEO desde 2013, continuará em seu cargo atual até que um sucessor seja nomeado, disse a empresa em um comunicado.

A Bunge também indicou Kathleen Hyle, integrante do conselho, como chairman, efetivo imediatamente.

Hyle era chefe do comitê de auditoria da empresa e será parte de comissão criada para procurar e escolher um novo presidente-executivo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).