SpaceX interrompe lançamento de satélite dos EUA

Reuters
O lançamento de hoje seria o primeiro de 32 satélites em produção pela Lockheed sob contratos no valor de US$ 12,6 bilhões para o programa GPS III da Força Aérea

A SpaceX, de Elon Musk, interrompeu o lançamento hoje (18) de um satélite de navegação para os militares norte-americanos, adiando por pelo menos um dia o que a empresa de transporte espacial considera sua primeira missão de segurança nacional para os Estados Unidos.

LEIA MAIS: Eden: o projeto ecológico mais relevante que a SpaceX

O foguete Falcon 9, carregando um satélite equipado com um sistema de posicionamento global (GPS) de cerca de US$ 500 milhões construído pela Lockheed Martin, deveria decolar de Cabo Canaveral, na Flórida, pouco depois das 15h (horário de Brasília), mas o foguete foi desativado pouco antes da decolagem.

“O aborto da decolagem foi desencadeado pelo computador de bordo do Falcon 9”, disse um funcionário da SpaceX que narrava a sequência de lançamento. Ele disse que a SpaceX tentará realizar o lançamento amanhã (19) de manhã.

A SpaceX depois tuitou que o Falcon 9 e a carga útil continuam em boas condições e que o lançamento foi adiado por causa de uma leitura “incomum” nos sensores de primeiro estágio do foguete.

Se bem-sucedida, a missão será uma vitória para Musk, um empreendedor bilionário que há anos tenta entrar no mercado de lucrativos lançamentos espaciais militares, há muito tempo dominados pela Lockheed e pela Boeing.

VEJA TAMBÉM: SpaceX lança foguete criado para missões tripuladas

A empresa do bilionário ganhou em 2016 o contrato de US$ 83 milhões com a Força Aérea dos EUA para lançar o satélite, que ficará em operação por 15 anos, informou o porta-voz da Força Aérea norte-americana William Russell, por telefone. “Quando estiver totalmente operacional, esta última geração de satélites GPS trará novas capacidades aos usuários, incluindo uma precisão três vezes maior e até oito vezes a capacidade anti-interferência.”

O lançamento de hoje seria o primeiro de 32 satélites em produção pela Lockheed sob contratos no valor de US$ 12,6 bilhões para o programa GPS III da Força Aérea, disse o porta-voz da Lockheed, Chip Eschenfelder.

O próximo satélite GPS III será lançado em meados de 2019, segundo Eschenfelder, enquanto satélites subsequentes passam por testes nas instalações de processamento da empresa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).