Brumadinho: ao menos 9 mortos e 300 desaparecidos

Washington Alves/Reuters
Vale, responsável pela mina onde a barragem rompeu, teve R$ 1 bi bloqueado

O rompimento de barragem da mina Feijão, da mineradora Vale, em Brumadinho (MG), deixou pelo menos nove mortos e 300 desaparecidos, segundo informações do Corpo de Bombeiros do Estado divulgadas na manhã de hoje (26). Com o colapso da estrutura, ocorrido ontem, uma avalanche de lama de rejeitos atingiu parte da comunidade da Vila Ferteco e a área administrativa da própria empresa, onde havia centenas de funcionários. Imagens aéreas televisionadas mostram grande quantidade de lama em meio a vegetações, além de estruturas urbanas atingidas, incluindo casas e veículos. Outras 189 pessoas já foram resgatadas com vida, segundo o Corpo de Bombeiros.

LEIA MAIS: Ações da Vale despencam nos EUA após tragédia em MG

Em entrevista na noite de ontem, o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, afirmou que os principais atingidos pelo desastre foram funcionários próprios e terceiros da própria companhia, que tiveram restaurante e prédio administrativo soterrados, na hora do almoço. Na ocasião, o executivo afirmou haver aproximadamente 300 pessoas trabalhando no local, sendo que cerca de 100 já haviam sido contactados pela empresa na própria sexta-feira.

Ainda não há informações sobre as causas da tragédia. A Justiça de Minas Gerais acatou pedido do Estado e determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão da Vale, com imediata transferência para uma conta judicial, devido ao rompimento da barragem.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).