Ibovespa fecha em alta de mais de 1%

Getty Images
Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,42%, a 96.996,21 pontos

O Ibovespa fechou em alta de mais de 1% hoje (30), apoiado na disparada das ações da Vale – 9,3% – depois que a mineradora anunciou um plano de ação na esteira da tragédia em Brumadinho, e na sinalização de que o banco central norte-americano será paciente antes de novas altas de juros.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em leve alta

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,42%, a 96.996,21 pontos, tendo alcançado 97.106,68 pontos no melhor momento. O giro financeiro da sessão somou R$ 18,65 bilhões.

No fim da tarde, o Federal Reserve manteve os juros norte-americanos na faixa de 2,25% a 2,5% e repetiu a sinalização moderada em relação ao processo de normalização das condições monetárias nos Estados Unidos.

No Twitter, Mohamed A. El-Erian, consultor econômico chefe na Allianz, afirmou que foi um comunicado notavelmente ‘dovish’, que traz a noção de paciência em relação às taxas de juros e à disposição de ajustar a redução do balanço.

O chairman Jerome Powell reforçou o discurso em entrevista à imprensa logo depois.

Profissionais do mercado afirmam que a perspectiva de prolongamento do ambiente de elevada liquidez global, em particular o tom ‘dovish’ do BC norte-americano, tem apoiado ativos de mercados emergentes neste começo de ano, prevalecendo sobre as preocupações com a desaceleração global.

VEJA TAMBÉM: Vale despenca mais de 20% após Brumadinho

No caso da bolsa paulista, o Ibovespa já acumula em 2019 alta de mais de 10%.

Em Wall Street, o S&P 500 também ganhou fôlego e subia 1,6% perto do fechamento do pregão, com balanços da Apple e da Boeing repercutindo nos negócios e com nova rodada de negociações

Os EUA e a China também começam nesta quarta-feira nova rodada de discussões comerciais em meio a profundas diferenças sobre as exigências de Washington por reformas econômicas estruturais de Pequim.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).