Gerdau tem lucro de R$ 389 mi no 4º tri

Forbes
A Gerdau reverteu seus resultados apesar de ter registrado queda de produção e nas vendas em volume no quarto trimestre

A Gerdau teve lucro líquido de R$ 389 milhões no quarto trimestre, resultado impulsionado por preços maiores de aço que ajudaram a operação da companhia na América do Norte a ter o melhor desempenho operacional dos últimos 10 anos.

LEIA MAIS: Gerdau: oferta para recompra de US$ 900 mi em títulos

O desempenho reverteu prejuízo de R$ 1,38 bilhão sofrido no ano anterior.

O grupo siderúrgico teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 1,4 bilhão, crescimento de 18,9% na comparação com o quarto trimestre de 2017. A margem subiu de 12% para 12,9%.

A Gerdau reverteu seus resultados apesar de ter registrado queda de produção e nas vendas em volume no quarto trimestre. O volume de aço produzido recuou 18,4%, para 3,22 milhões de toneladas, e as vendas caíram 16,1%, para 3,17 milhões de toneladas.

A receita líquida cresceu 11%, para R$ 10,9 bilhões, enquanto o custo de vendas subiu 9,3%, para R$ 9,6 bilhões, e as despesas gerais e administrativas tiveram redução de 5,1%.

A margem bruta da Gerdau passou de 10,6% para 12% no quarto trimestre do ano passado.

VEJA TAMBÉM: Lucro da Gerdau salta 445,5% no 3º trimestre

A companhia, que em 2018 concluiu processo de venda de ativos que consolidou a atuação do grupo nas Américas, fechou o ano passado com dívida líquida de R$ 11,58 bilhões, ante R$ 13,1 bilhões no fim de 2017. A relação entre dívida líquida e Ebitda voltou a cair, encerrando o ano passado em 1,7 vez ante 2,2 vezes em setembro e 3 vezes no fim do ano anterior.

INVESTIMENTO MAIOR

A Gerdau estimou investimento de R$ 7,1 bilhões para o período entre 2019 e 2021, uma média de R$ 2,36 bilhões por ano ante R$ 1,2 bilhão desembolsados em 2018.

A companhia afirmou que os recursos serão usados em manutenção de sua usina siderúrgica integrada em Ouro Branco (MG), que vai parar alto-forno 1 por 60 dias este ano e passará por “reformas graduais” em 2020 e 2021.

A empresa também vai aplicar os recursos em expansão de capacidade e atualização tecnológica focada em processos de maior rentabilidade.

Com isso, a Gerdau vai ampliar em 530 mil toneladas sua capacidade de produção de aço em diversas usinas na América do Norte (R$ 456 milhões), elevará a produção de aços especiais em Pindamonhangaba (SP) e Monroe (EUA) com desembolso de R$ 789 milhões e ampliará a produção de bobinas a quente em Ouro Branco em 230 mil toneladas, com dispêndio de R$ 380 milhões.

A Gerdau afirmou, porém, que os investimentos em expansão e atualização ocorrerão conforme a concretização de expectativas de crescimento da demanda para que a empresa cumpra objetivo de manter seu nível de endividamento em entre 1 e 1,5 vez dívida líquida sobre Ebitda.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).