Hyundai considera cortes de capacidade na China

Reuters
Segundo fontes, montadora precisa otimizar para aumentar eficiência

A Hyundai, que tem sofrido com a queda nas vendas na China, está considerando cortar a capacidade de suas fábricas em seu maior mercado, disse o presidente-executivo Lee Won-hee, segundo duas pessoas com conhecimento do assunto.

LEIA MAIS: Hyundai vai ter banco em parceria com Santander Brasil

Lee fez os comentários em reunião com analistas e investidores ontem (27), disseram pessoas que participaram do evento à Reuters.

Ele disse na reunião que a montadora está considerando lidar com o excesso de capacidade em suas antigas fábricas na China, enquanto corta o número de funcionários no país, de acordo com uma nota de uma das pessoas que foi entrevistada pela Reuters.

Um porta-voz da Hyundai Motor disse que a montadora está “revisando vários planos de otimização para aumentar a eficiência das instalações” e começou a aposentar funcionários na China.

A indústria automobilística da China está desacelerando após forte crescimento, com a demanda atingindo uma economia enfraquecida e as consequências das tensões comerciais com os Estados Unidos. As vendas de carros da China caíram 2,8% em 2018, a primeira contração desde os anos 1990, segundo dados da associação do setor.

As vendas da Hyundai na China caíram 23% no quarto trimestre, em meio à falta de modelos atraentes e diante da concorrência de fabricantes de automóveis chineses e globais.

VEJA TAMBÉM: Vice-presidentes do conselho da Hyundai renunciam

Lee disse que a Hyundai também está considerando enviar kits de peças de veículos da China para as Filipinas, América do Sul e outros países para a montagem local, disse a nota.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyrig[email protected]).