Justiça dos EUA acata fusão da AT&T e Time Warner

Dado Ruvic/Illustration/Reuters
Corte de Apelação põe fim a esforço de 15 meses para bloquear o acordo

A AT&T saiu vitoriosa das extensas tentativas do governo norte-americano de impedir sua compra da Time Warner por US$ 85,4 bilhões, e o Departamento de Justiça dos EUA disse que não vai recorrer à decisão de um tribunal de apelação que aprovou o acordo. A compra estava sendo acompanhada de perto em círculos políticos após ser criticada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que se opunha à aquisição por acreditar que ela ajudaria a CNN, unidade da Time Warner, que ele tem acusado de transmitir notícias falsas (fake news).

LEIA MAIS: Qual o significado da compra da Time Warner pela AT&T para a indústria da mídia?

O painel de três juízes da Corte de Apelação do Distrito de Columbia decidiu por unanimidade a favor do acordo, dizendo que o argumento do governo de que a fusão resultaria em preços mais elevados para o consumidor não é convincente. A decisão colocou fim ao esforço de 15 meses do Departamento de Justiça para bloquear o acordo. Essa foi a segunda grande vitória da AT&T contra o Departamento de Justiça, abrindo caminho para a operadora de telefonia móvel integrar seus negócios da WarnerMedia, assim como sua nova unidade de publicidade Xandr.

“Estamos gratos de que a Corte de Apelação tenha considerado nossas objeções à opinião da Corte Distrital. O departamento não tem planos de buscar revisões adicionais”, disse o porta-voz do Departamento de Justiça, Jeremy Edwards, em comunicado.

O acordo é visto como momento decisivo para uma indústria midiática que tem sido revirada por companhias como a Netflix e o Google, que disponibilizam conteúdo online sem a necessidade de uma assinatura de TV a cabo. A fusão, anunciada em outubro de 2016, foi fechada em 14 de junho de 2018, pouco depois que o juiz norte-americano Richard Leon decidiu que o acordo era legal sob a lei antitruste.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).