Honda e Hino entram em negócio de carros autônomos

Getty Images
Montadoras vão se juntar à Monet Technologies, do Softbank e da Toyota

A Honda e a Hino Motors estão se unindo a um empreendimento do SoftBank e da Toyota que desenvolverão serviços de carros autônomos no Japão, enquanto alianças entre montadoras e empresas de tecnologia se tornam comuns.

LEIA MAIS: Honda vai fechar fábrica no Reino Unido

Com o acordo, a Honda e a fabricante de caminhões Hino, na qual a Toyota detém participação majoritária, investirão cerca de 250 milhões de ienes (US$ 2,27 milhões) na joint venture Monet Technologies, e assumirão participação de 10% no negócio, disse hoje (28) a Monet.

O conglomerado de tecnologia SoftBank e a Toyota formaram o empreendimento no ano passado. Ele vai competir na esfera de compartilhamento de caronas que é dominada por startups como Uber, Didi Chuxing e Lyft.

A participação de Honda e Hino no setor destaca os desafios que as montadoras enfrentam no desenvolvimento de novos serviços de transporte, já que o surgimento de carros autônomos poderá ameaçar as vendas de veículos no futuro, com usuários optando por serviços em que pagam por cada uso.

É também o mais recente exemplo da crescente tendência de consolidação entre montadoras e empresas de tecnologia e comunicação, que agarram o enorme investimento e a expertise em software necessários para desenvolver novos serviços para os quais a demanda ainda precisa ser testada.

O novo investimento da Honda e da Hino deixaria o SoftBank com uma participação de 40,2% na Monet, ante pouco mais de 50% quando o empreendimento foi formado. A Toyota deterá uma participação de 39,8%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).