Ibovespa fecha em alta

Reuters
Notícias sobre Previdência e melhora em NY impactaram o pregão

O Ibovespa fechou em alta e acima dos 95 mil pontos hoje (8), em meio a noticiário mais favorável sobre a reforma da Previdência e melhora em Nova York, apesar de dados da China e Estados Unidos endossando apreensões com o ritmo do crescimento econômico mundial.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em leve alta após dia volátil

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,09%, a 95.364,85 pontos, encerrando perto da máxima da sessão (95.475,68 pontos). O giro financeiro do pregão somou R$ 16,3 bilhões. Na semana, mais curta em razão do Carnaval, avançou 0,8%.

Após uma abertura mais negativa, pressionado pelo cenário externo, o Ibovespa passou a oscilar no campo positivo em meio a novas declarações do presidente Jair Bolsonaro defendendo a reforma da Previdência, que ele considera ser possível aprovar no primeiro semestre.

A alta acelerou à tarde, após entrevista do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao “Estadão”, na qual ele disse que Bolsonaro “fará sua parte” para garantir a aprovação da reforma ainda neste ano e que mapeamento do governo indica faltar apenas 48 votos para a reforma passar na Câmara dos Deputados.

Perto do fechamento do pregão, o porta-voz da Presidência disse não ter conhecimento sobre mapa de votos para aprovação da PEC da Previdência.

“O mercado está tentando acreditar na agenda propositiva de 2019”, afirmou o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, destacando também fala do presidente da Câmara dos Deputados sobre a instalação na CCJ na próxima semana.

VEJA MAIS: Ibovespa fecha em queda com exterior desfavorável

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que marcou para a quarta-feira (13) a instalação da Comissão de Constituição e Justiça, primeiro colegiado em que a reforma tramitará.

As novidades repercutiram bem entre agentes no mercado, que vêm adotando posições mais cautelosas dada a ausência de avanços efetivos quanto à reforma e explicitando a necessidade de maior engajamento do presidente e do governo na defesa da reforma.

No começo do pregão, o Ibovespa recuou mais de 1%, indo abaixo de 94 mil pontos, conforme números sobre as exportações chinesas e a criação de empregos nos EUA em fevereiro acentuaram temores sobre o ritmo do crescimento econômico global.

Em Wall Street, o S&P 500 também reduziu as perdas, o que ajudou na melhora doméstica, fechando em baixa de 0,2%, após recuar quase 1% no pior momento.

A partir de segunda-feira (11), o horário de negociação do mercado à vista volta para o intervalo de 10h às 16h55, com call de fechamento de 16h55 às 17h. O horário de negociação do after-market será das 17h30 às 18h.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).