Coca-Cola tem resultado trimestral acima do esperado

O lucro líquido atribuível à companhia subiu 22,6%, para US$ 1,68 bilhão

A Coca-Cola divulgou hoje (23) receita e lucro trimestrais acima das estimativas de Wall Street, impulsionada por vendas de bebidas não carbonatadas e refrigerantes, o que fazia suas ações avançarem em Nova York.

LEIA MAIS: Coca-Cola estuda bebida com infusão de maconha

A empresa vem reforçando portfólio de bebidas como café, águas saborizadas e smoothies, sob o comando do presidente-executivo, James Quincy, que lidera a transformação da Coca-Cola para uma “companhia totalmente de bebidas”.

Como parte do plano, a Coca-Cola pagou US$ 5,1 bilhões pela Costa Coffee no início deste ano para explorar o crescente mercado global de café.

Quincy também está se concentrando em margens, em vez de volume, ao promover desinvestimento de operações de engarrafamento, enquanto ajusta o tamanho de embalagens e aumenta preços. As latas e garrafas menores ajudaram a impulsionar um aumento de 6% nas vendas de águas e bebidas esportivas.

Novas fórmulas com baixo teor de açúcar e embalagens menores estão ajudando a Coca-Cola e a rival PepsiCo a reverterem anos de quedas nas vendas de refrigerantes.

Para o segundo trimestre, a Coca-Cola projetou um aumento de 6% na receita comparável de aquisições e desinvestimentos, mas continua a ver impacto de oscilações cambiais. A companhia manteve previsão de desempenho para o ano inteiro.

A receita subiu 5%, para US$ 8,02 bilhões, e a empresa teve lucro de US$ 0,48 por ação em uma base ajustada. Analistas previam lucro de US$ 0,46 dólar e receita de US$ 7,88 bilhões, segundo a Refinitiv IBES.

VEJA TAMBÉM: Coca-Cola vai aumentar investimentos na Argentina

O lucro líquido atribuível à companhia subiu 22,6%, para US$ 1,68 bilhão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).