China acusa EUA de “mentiras” sobre Huawei e governo

Kim Kyung-Hoon/Reuters
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang

A China acusou hoje (24) o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, de fabricar rumores após ele ter dito que o presidente executivo da chinesa Huawei Technologies Co Ltd estava mentindo sobre os laços de sua empresa com o governo de Pequim. Os EUA colocaram a Huawei em uma lista negra comercial na semana passada, proibindo empresas norte-americanas de fazerem negócios com a maior fabricante de redes de telecomunicações do mundo e intensificando a batalha comercial entre os dois países. A Huawei tem negado repetidamente ser controlada pelo governo, pelas forças militares ou por serviços de inteligência da China.

LEIA MAIS: Huawei deve perder 50% das vendas se não tiver os serviços do Google de volta

Ontem, Pompeo também minimizou as afirmações do CEO da Huawei, Ren Zhengfei, de que sua empresa nunca vai compartilhar segredos dos usuários, e disse acreditar que mais empresas dos EUA cortarão os laços com a gigante de tecnologia.

“Recentemente, alguns políticos dos EUA fabricaram continuamente rumores sobre a Huawei mas nunca produziram a evidência clara que os países pediram”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, quando questionado sobre as declarações de Pompeo.

Lu disse que o governo dos EUA está provocando suspeitas no povo norte-americano para confundir e instigar oposição. “Internamente nos EUA existem mais e mais dúvidas sobre a guerra comercial que o lado dos EUA tem provocado com a China, a turbulência no mercado causada pela guerra tecnológica e cooperação industrial bloqueada”, completou. Os políticos dos EUA continuam a “fabricar mentiras para tentar enganar o povo norte-americano, e agora estão tentando incitar oposição ideológica.”

O presidente dos EUA, Donald Trump, também disse ontem que as reclamações do país contra a Huawei podem ser resolvidas dentro da estrutura do acordo comercial entre EUA e China, enquanto ao mesmo tempo chamou a gigante de telecomunicações de “muito perigosa”.

Lu disse não saber do que Trump estava falando. “Sinceramente, eu na verdade não estou certo qual é o significado específico do líder dos EUA, do lado dos EUA, ao dizer isso”, afirmou ele, acrescentando que se os repórteres estiverem interessados devem pedir aos EUA que esclareçam.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).