Gerdau tem melhor Ebitda para 1º tri em 11 anos

GettyImages
Resultado operacional medido pelo Ebitda foi o melhor para o período dos últimos 11 anos

A Gerdau divulgou hoje (8) lucro líquido ajustado de R$ 453 milhões no primeiro trimestre, acréscimo de apenas 1% em relação ao mesmo período do ano anterior, mas o resultado operacional medido pelo Ebitda foi o melhor para o período dos últimos 11 anos.

VEJA TAMBÉM: Gerdau tem lucro de R$ 389 mi no 4º tri

O grupo siderúrgico teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 1,55 bilhão, crescimento de 4,6% na comparação com o primeiro trimestre de 2018. A margem Ebitda subiu de 14,3% para 15,5%, conforme o material de divulgação do balanço.

Nos primeiros três meses do ano, contudo, o volume de aço produzido recuou 19,7%, para 3,343 milhões de toneladas, e as vendas caíram 22,9%, para 2,985 milhões de toneladas.

Segundo a companhia, isso ocorreu em razão dos desinvestimentos de operações no Chile, na Índia e de grande parte das unidades de vergalhão e da unidade de fio-máquina nos Estados Unidos, concluídos em 2018.

A receita líquida caiu 3,5%, para R$ 10,026 bilhões, enquanto o custo de vendas recuou 14%, para R$ 129 milhões, e as despesas gerais e administrativas tiveram redução de 11,5%. A margem bruta passou de 12,9% para 12,7% entre os primeiros trimestres de 2018 e 2019.

Entre as unidades de negócios, a receita líquida no Brasil registrou aumento de 6,6% e a América do Norte mostrou queda de 13,2% na comparação ano a ano. América do Sul teve recuo de 23,6% e Aços Especiais teve alta de 6,2%.

E AINDA: Gerdau: oferta para recompra de US$ 900 mi em títulos

Em relação ao Ebitda, a América do Norte mostrou expansão de 104%, enquanto Brasil teve queda de 10,3%, América do Sul registrou baixa de 16% e Aços Especiais apurou decréscimo de 24,4%.

A companhia fechou o primeiro trimestre do ano com dívida líquida de R$ 12,461 bilhões, ante R$ 11,582 bilhões no fim de 2018. A relação entre dívida líquida e Ebitda ficou em 1,8 vez ante 1,7 vez na posição de 31 de dezembro de 2018.

Analistas do Itaú BBA consideraram que a empresa reportou resultados sólidos. No caso do Ebitda, que superou as expectativas, a equipe afirmou em nota a clientes que tal desempenho é explicado principalmente pelos resultados mais fortes do que o esperado nos EUA.

INVESTIMENTOS

A Gerdau realizou investimentos da ordem de R$ 305 milhões no primeiro trimestre, sendo R$ 191 milhões para manutenção geral, R$ 77 milhões para expansão e atualização tecnológica e R$ 37 milhões para manutenção da usina de Ouro Branco (MG).

LEIA MAIS: Gerdau conclui venda de ativos nos EUA para Commercial Metals

Do valor total desembolsado no trimestre, 41% foram destinados às operações no Brasil, 31% para América do Norte, 24% para Aços Especiais e 4% para América do Sul.

Para 2019, a siderúrgica prevê investimentos de R$ 2,2 bilhões. Segundo a companhia, o montante faz parte do programa de R$ 7,1 bilhões para o período de 3 anos (2019-2021), sendo R$ 2,4 bilhões de investimentos em expansão e atualização tecnológica, dos quais a maior a parte se refere a aumento de capacidade.

A companhia realiza teleconferência com analistas sobre o balanço às 14h (horário de Brasília).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).