Huawei reavalia relacionamento com a FedEx

Getty Images
Fabricante chinesa acusa a empresa norte-americana de desviar encomendas

A fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações Huawei está revendo o relacionamento com a FedEx após ter acusado a empresa norte-americana de desviar duas encomendas sem explicação detalhada. Os pacotes foram reencaminhados da Ásia para os Estados Unidos e a empresa afirmou que outras duas encomendas foram alvos de tentativas de desvio.

LEIA MAIS: Samsung pode ganhar com situação da Huawei

Representantes da Huawei afirmaram à Reuters que a FedEx desviou para os EUA dois pacotes enviados do Japão e endereçados à Huawei na China, e que houve duas outras tentativas de desvio em pacotes enviados do Vietnã para escritórios da companhia em outras partes da Ásia, tudo sem autorização. A empresa forneceu imagens de registros de rastreamento da FedEx.

A Reuters não pode verificar a autenticidade dos registros. A FedEx não comentou o assunto.

A Huawei disse que os quatro pacotes continham documentos e “nenhuma tecnologia”. A Reuters não pode confirmar de maneira independente esta informação.

O grupo chinês não deu mais detalhes sobre porque acredita que os pacotes foram desviados. A Reuters não teve evidência que o episódio aponte para a guerra comercial iniciada pelos Estados Unidos contra a China.

“As recentes experiências envolveram importantes documentos comerciais enviados via FedEx que não foram entregues no destino e, em vez disso, foram desviados para a FedEx nos EUA e isso mina nossa confiança”, disse Joe Kelly, um porta-voz da Huawei. “Vamos agora ter de rever nossa logística e exigências sobre entrega de documentos como resultado direto destes incidentes”.

VEJA TAMBÉM: Vendas da Huawei podem cair até 25% neste ano

A Huawei reconheceu, porém, que um dos pacotes postado no Vietnã foi recebido na sexta-feira (24) e que outro estava a caminho, segundo registros de rastreamento da própria FedEx fornecidos pela Huawei.

A porta-voz da FedEx Maury Donahue afirmou à Reuters que os pacotes foram “redirecionados por erro” e que a FedEx não recebeu pedidos de outras partes para desviá-los.

“Este é um incidente isolado e limitado a um número muito pequeno de encomendas”, disse a FedEx, referindo-se aos quatro pacotes citados pela Huawei.

O Departamento de Comércio dos EUA não respondeu a pedido de comentário sobre se o incidente poderia estar ligado à ação de incluir a Huawei numa lista negra comercial que impede a companhia de comprar produtos de grupos norte-americanos sem aprovação de Washington.

Os dois pacotes enviados em 19 e 20 de maio a partir de Tóquio tinham como destinatária a Huawei na China, mas acabaram indo parar em Memphis, Tennessee, na sede da FedEx, em 23 de maio, segundo os registros de rastreamento dados pela Huawei.

E MAIS: China acusa EUA de “mentiras” sobre Huawei e governo

Os dois pacotes que saíram de Hanoi em 17 de maio, destinados aos escritórios da Huawei em Hong Kong e Cingapura, ficaram em postos da FedEx em Hong Kong e Cingapura quando chegaram em 21 de maio. A eles foi atribuída a expressão “exception” (“exceção”).

Segundo o site da FedEx, a expressão “exception” significa que um evento inesperado impede a entrega de uma encomenda, por exemplo, um feriado ou quando não há alguém para receber o pacote. A FedEx não deu detalhes sobre a natureza das exceções.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).