Fundador de gravadora de K-pop YG renuncia

Kim Hong-Ji/Reuters
Yang Hyun-suk deixou o cargo após uma série de escândalos de drogas e sexo

Yang Hyun-suk, fundador da sul-coreana YG Entertainment, que agencia grandes nomes do K-Pop, renunciou hoje (14) ao cargo de produtor-chefe na esteira de escândalos de drogas e sexo envolvendo seus artistas.

LEIA MAIS: Sexo e mentiras: escândalos abalam o universo do K-pop

Em março, um membro da boy band Big Bang abandonou o negócio devido a acusações de suborno sexual, desencadeando investigações policiais e a renúncia de quatro astros de K-Pop, ele mesmo incluído.

Subsequentemente, surgiram alegações sobre uma rede de pop stars, empresários e policiais que conspiraram e possibilitaram sonegação fiscal, suborno e prostituição, expondo o lado obscuro da indústria glamourosa.

“Aguardei pacientemente esta situação, durante a qual palavras vergonhosas e humilhantes estão sendo disseminadas impensadamente como se fossem a verdade”, disse Yang, ex-astro lendário do K-Pop, em um comunicado. “Mas não acho que consigo mais suportá-la.”

Yang disse que está saindo para evitar mais danos das acusações aos artistas da empresa. Estas envolvem mediação de prostituição, sonegação fiscal e acobertamento de um escândalo de drogas, todos negados por ele.

Principal acionista da YG, Yang fundou a empresa de agenciamento de K-Pop em 1996. Seu irmão Yang Min-suk, presidente da agência, também renunciou, segundo um registro regulatório.

VEJA TAMBÉM: Jogo BTS WORLD ganha data de lançamento

Na quarta-feira (12), o líder de outra das boy bands da YG, iKON, também abandonou o meio artístico devido a reportagens segundo as quais estava tentando comprar drogas ilegais. Ele pediu desculpas publicamente por seu ato e saiu da banda.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).