IBM, Walmart e Merck iniciam programa de blockchain

Getty Images
As empresas disseram que trabalharão com a consultoria KPMG para criar uma rede blockchain compartilhada

IBM, Merck e Walmart foram escolhidos para um programa piloto da Food and Drug Administration dos Estados Unidos (FDA) para explorar uso da tecnologia blockchain na melhoria da segurança do fornecimento e distribuição de medicamentos controlados.

LEIA MAIS: Microsoft lança serviços em nuvem para IA e blockchain

As empresas disseram que trabalharão com a consultoria KPMG para criar uma rede blockchain compartilhada, que permitirá o monitoramento em tempo real dos produtos na cadeia de suprimentos farmacêuticos.

O projeto foi autorizado pela Lei de Segurança da Cadeia de Suprimentos de Medicamentos dos EUA (DSCSA), criada para aumentar a fiscalização regulatória de medicamentos falsificados, roubados, contaminados ou prejudiciais.

O novo projeto visa reduzir o tempo necessário para monitorar e rastrear medicamentos controlados, melhorando o acesso a informações de distribuição confiáveis e garantindo que os produtos sejam manuseados de forma adequada e armazenados na temperatura certa enquanto são distribuídos, disseram as empresas em um comunicado.

A tecnologia blockchain, originalmente concebida há uma década como base para a moeda digital bitcoin, ajudará as partes interessadas a estabelecerem um registro permanente e pode ser integrada aos sistemas existentes usados para rastrear produtos enquanto eles são distribuídos.

O projeto está programado para ser concluído no quarto trimestre de 2019 e os resultados serão publicados em um relatório, disseram as empresas.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).