Ibovespa fecha em queda de 0,43%

Reuters
O índice fechou a sessão de hoje (17) em queda de 0,43%, a 97.623,25 pontos

O Ibovespa iniciou a semana fechando em baixa, após oscilar muito ao longo da sessão, refletindo a cautela do mercado com os próximos dias no cenário internacional e com os possíveis desdobramentos na tramitação da reforma da Previdência.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em baixa, puxado por bancos

O índice fechou a sessão de hoje (17) em queda de 0,43%, a 97.623,25 pontos.

Segundo profissionais do mercado, os negócios reverberaram em parte as crescentes apostas de que autoridades monetárias poderão indicar nesta semana que estão abertas a fazer cortes em taxas de juros ainda neste ano.

Na semana cortada pelo feriado de Corpus Christi, na quinta-feira (20), haverá reuniões de política monetária dos bancos centrais dos Estados Unidos, Japão e da Inglaterra.

Além disso, haverá também reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central, na terça e quarta-feiras (18 e 19). A expectativa de corte da Selic foi reforçada com a pesquisa Focus, que mostrou o mercado reduzindo a previsão de crescimento econômico pela 16ª semana seguida. A pesquisa também mostrou que a estimativa agora é de que a Selic termine o ano em 5,75%, ante atual patamar de 6,5%.

VEJA TAMBÉM: Parecer da Previdência agrada e Ibovespa fecha em alta

“Cada um desses bancos centrais vai indicar possivelmente uma flexibilização nas taxas de juros, isso por si só já gera uma prudência”, disse o economista-chefe do banco digital Modalmais, Alvaro Bandeira.

O mercado ainda espera mais desdobramentos na sequência da tramitação da reforma da Previdência. Mais cedo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse esperar que a proposta de reforma seja aprovada na comissão especial da Casa em 26 de junho.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).