Relativity fará fábrica de impressão 3D na Nasa

Getty Images
Empresa de foguetes vai produzir modelos de baixo custo

A fabricante de foguetes Relativity Space anunciou hoje (11) que vai alugar espaço nas instalações da agência espacial norte-americana (Nasa) em Mississippi, onde suas impressoras 3D gigantes vão produzir foguetes de baixo custo que serão usados para lançamentos de pequenos satélites.

LEIA MAIS: Nasa abrirá Estação Espacial para turismo por US$ 50 mi

A área a ser alugada, de 20 mil metros quadrados, é o mais recente passo da companhia de Los Angeles na missão de produzir em impressoras 3D foguetes em Marte, uma meta que o presidente-executivo da Relativity, Tim Ellis, diz que é pré-requisito para a colonização espacial.

O primeiro passo para a companhia é aperfeiçoar um sistema em que robôs com capacidade de aprendizado podem fabricar e montar o foguete Terran 1 sem ajuda de humanos, meta que a Relativity espera que possa ser alcançada com recursos a serem gerados pelo lançamento de pequenos satélites com os foguetes que serão produzidos na instalação da Nasa.

“Estamos reduzindo o componente de trabalho humano de forma significativa”, disse Ellis, veterano da empresa de exploração espacial Blue Origin, do bilionário Jeff Bezos. Ele se referiu aos braços de dois andares de altura da impressora 3D Stargate.

A companhia vai permitir a produção de um foguete inteiro em menos de 60 dias, disse o executivo, que está buscando lançar duas dúzias de satélites por ano nos próximos cinco anos para provar o método de produção da empresa.

O lançamento do Terran 1 deve ocorrer em 2020, custando aos fabricantes de satélite US$ 10 milhões por voo, e o foguete será capaz de transportar cerca de 1.250 quilos para a órbita baixa da Terra.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).