Sotheby’s leiloará vídeo com primeiros passos de Neil Armstrong na Lua

Bettmann/Getty Images
Fitas devem ser vendidas por até US$ 2 milhões em 20 de julho

Um homem que foi estagiário da Nasa anos atrás e que comprou um caminhão carregado de fitas de vídeo para revendê-las pode ficar milionário no próximo mês, quando a Sotheby’s vai leiloar o que diz ser o único registro original remanescente dos primeiros passos do homem na Lua 50 anos atrás.

LEIA MAIS: Saiba como Neil Armstrong se comunicou com a Terra

Nos anos após o homem pisar na lua em 20 de julho de 1969, durante a missão Apollo 11, a Nasa gravava coisas sobre suas fitas ou as vendia para reduzir custos, disse Gary George, que era estudante universitário quando comprou mais de 1.100 rolos de fitas da Nasa por cerca de US$ 218, em um leilão de excedentes do governo em 1976.

“Eu não tinha ideia que havia qualquer valor nelas”, disse George, um engenheiro mecânico aposentado de 65 anos de Las Vegas, em entrevista à Reuters pelo telefone. “Eu estava vendendo as fitas para canais de TV para reutiliza-las.”

Três das fitas, no entanto, parecem ter valor inestimável. Uma delas captura imagens dos primeiros passos na Lua do astronauta Neil Armstrong, junto com suas famosas palavras: “Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade”.

As gravações também mostram o astronauta Buzz Aldrin em volta de uma gravidade lunar mínima, bem como sua ligação com o então presidente norte-americano Richard Nixon, o homem fincando a bandeira dos EUA na superfície da Lua, coletando solo e mostras de pedras e muito mais, disse a porta-voz da Sotheby’s, Hallie Freer.

As fitas devem ser vendidas por até US$ 2 milhões quando forem a leilão em Nova York, em 20 julho, disse Freer. Ela se recusou a divulgar os termos financeiros exatos entre a Sotheby’s e o vendedor.7


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:
Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).