Braço solar da BP compra 2 GW em projetos no Brasil

Ueslei Marcelino/Reuters
Negócio integra movimento global rumo a uma economia de baixo carbono

A Lightsource BP, veículo da petroleira britânica BP para investimentos em energia solar, anunciou a aquisição junto à desenvolvedora Enerlife de um pacote de projetos no Brasil com cerca de 2 gigawatts (2 GW) em capacidade, em um negócio cujo valor não foi revelado, segundo nota da companhia hoje (4). A transação soma-se a outras apostas recentes de grandes multinacionais de petróleo no setor elétrico do Brasil, em movimento que busca aproveitar o potencial do país para fontes renováveis em meio a apostas de uma transição global rumo a uma economia de baixo carbono.

LEIA MAIS: Lucro da BP dobra em 2018 e atinge máxima em 5 anos

Segundo a Lightsource BP, o portfólio adquirido junto à desenvolvedora “consiste em 1,9 gigawatts de projetos solares em desenvolvimento”. Isso inclui 440 MW de projetos de grande escala, aptos a participar de licitações do governo para empreendimentos de geração, e 180 megawatts em projetos menores, de geração distribuída, localizados em cinco Estados brasileiros.

O anúncio da parceria com a Enerlife vem pouco após a empresa e a Lightsource BP terem vencido em conjunto uma licitação do governo para novos projetos de geração de energia, realizada na última sexta-feira. No chamado leilão A-4, as empresas venderam a produção futura de cinco usinas solares, com capacidade total de cerca de 160 megawatts. Os empreendimentos precisam entrar em operação até 2023 e devem exigir investimento de cerca de R$ 680 milhões.

A Lightsource BP afirmou que, como parte da transação anunciada, alguns membros seniores da equipe da Enerlife serão transferidos para a empresa para atuar no posterior desenvolvimento dos projetos. “Por meio desta aquisição, a Lightsource BP irá aumentar significativamente o seu portfólio, reforçar sua experiência e estabelecer sua ambição de se tornar um participante de destaque no mercado solar brasileiro”, disse a empresa em nota.

VEJA TAMBÉM: As 12 maiores multas corporativas da história

Um dos executivos que migrará para a Lightsource BP é o ex-CEO da Enerlife, Miguel Lobo, que será diretor de Desenvolvimento de Negócios da empresa. Antes, ele já havia sido gerente-geral da Martifer Renewables para a América Latina. “Estou pessoalmente ansioso para crescer e progredir ainda mais com o sólido apoio financeiro, ampla experiência e extensas relações de compras e logística proporcionadas pela Lightsource BP”, afirmou o executivo, em nota.

Além da BP, outras petroleiras já anunciaram investimentos em energia limpa no Brasil, como a francesa Total e a norueguesa Equinor. A Reuters publicou em abril que mais empresas do setor de petróleo estavam em busca de ativos renováveis para aquisição no Brasil, incluindo a BP.

A Lightsource BP tem atuação global do financiamento, desenvolvimento, aquisição e gestão de projetos de energia solar fotovoltaica. A BP adquiriu 43% da empresa no final de 2017, em meio a uma parceria estratégica que envolveu a adoção do atual nome da companhia. Ela já investiu mais de US$ 3 bilhões em cerca de 2 gigawatts de projetos solares pelo mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).