Cade condena 11 empresas por cartel no metrô

Adriano Machado/Reuters
Cade condenou as empresas a multas totais de R$ 515,6 milhões

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou hoje (8) 11 empresas e 42 pessoas por formação de cartel em licitações de trens e metrôs de São Paulo, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

LEIA MAIS: Consórcio da CCR vence leilão da linha 15 do Metrô-SP

O órgão antitruste concluiu que pelo menos 26 certames foram prejudicados pelo cartel de 1999 a 2013. As empresas condenadas estão Alstom Brasil Energia, Bombardier, CAF Brasil, Iesa, MGE Equipamentos e Serviços Rodoviários, Mitsui, MPE, TC/BR Tecnologia, Tejofran, Temoinsa do Brasil e TTrans a multas totais de R$ 515,6 milhões. Além disso, as pessoas condenadas terão que pagar outros R$ 19,5 milhões.

O caso começou em maio de 2013, com a assinatura de acordo de leniência da Siemens com o Cade, o Ministério Público Federal e o Ministério Público de São Paulo, que precedeu busca e apreensão em empresas suspeitas de participar do cartel.

Segundo o Cade, o objetivo do cartel era dividir o mercado, fixar preços, ajustar condições e formas de participação das empresas nas licitações. Para isso, os participantes fizeram supressão de propostas ou propostas de cobertura, formaram consórcios e subcontratações.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).