Atriz Felicity Huffman pega 14 dias de prisão por escândalo de admissões em universidades

ReutersKatherine-Taylor
Também foi ordenado que a atriz pague uma multa de US$ 30 mil

VEJA TAMBÉM: Rússia pode proibir Facebook, Instagram e YouTube no país

A atriz Felicity Huffman, primeira envolvida a ser sentenciada em um amplo escândalo de fraudes em admissões a universidades norte-americanas, foi condenada a 14 dias na prisão hoje (13), fazendo um sombrio pedido de desculpas no tribunal federal por ter pagado por fraude na prova de admissão de sua filha na universidade.

A juíza distrital norte-americana Indira Talwani também ordenou que Felicity, que estrelava a popular série televisiva “Desperate Housewives” e já foi indicada ao Oscar de melhor atriz, pague uma multa de US$ 30 mil, passe por um ano de supervisão em liberdade e complete 250 horas de serviço comunitário. Felicity, de 56 anos, se declarou culpada em maio.

“Meu primeiro pedido de desculpas é a você”, disse Felicity, que usava um vestido preto, à juíza, imediatamente após ouvir sua sentença. “Eu entendo agora como mãe que amor e verdade devem andar lado a lado, e que o amor a despeito da verdade não é o amor real”, disse a atriz. “Merecerei qualquer punição que você me der.”

Felicity foi libertada no tribunal após a juíza ordenar que ela se apresente na prisão no dia 25 de outubro. Seu marido, o ator William H. Macy, que estava sentado na sala do tribunal e não é acusado no esquema, aproximou-se imediatamente e colocou as mãos nos ombros da atriz.

O escândalo jogou luz sobre as vantagens de ser rico em admissões universitárias e nos meios que alguns americanos utilizam para conseguir que seus filhos sejam admitidos em grandes universidades às custas de outros concorrentes.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).