Dólar supera R$ 4,14 após BC sinalizar novo corte da Selic

iStock
Às 11:43, a moeda norte-americana avançava 0,83%, a R$ 4,1368 na venda

O dólar operava nas máximas em duas semanas ante o real hoje (19), um dia depois de o Banco Central cortar a Selic para uma nova mínima histórica e sinalizar nova redução nos juros, o que gerou alguma surpresa no mercado.

LEIA MAIS: Dólar encerra em alta ante real após decisão do Fed

Às 11:43, a moeda norte-americana avançava 0,83%, a R$ 4,1368 na venda. Na máxima, foi a R$ 4,1450 na venda, máxima desde 4 de setembro. Na B3, o dólar futuro tinha alta de 0,67%, a R$ 4,1415.

O Banco Central cortou na quarta-feira (18) a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, a 5,50% ao ano, dando sequência ao ciclo de afrouxamento monetário em meio à débil recuperação econômica, num processo que deve seguir adiante, segundo sinalização do Comitê de Política Monetária (Copom).

“A queda da Selic e a previsão de outro corte na próxima reunião têm como consequência a queda também da rentabilidade da arbitragem de taxa de juros (‘carry trade’), o que afeta diretamente o mercado de câmbio”, afirmou Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora.

Silva também destaca a saída de fluxo financeiro dos mercados domésticos como fator de impulso do dólar contra o real. Segundo ele, investidores estariam redirecionando recursos para outros países emergentes, como o México.

Nesta sessão, o real liderava as perdas contra o dólar, com a moeda norte-americana em queda de 0,12% contra o peso mexicano e se desvalorizando também contra uma cesta de moedas.

VEJA TAMBÉM: Dólar sobe ante real com atenções voltadas para Fed e Copom

No acumulado de setembro até dia 13, o fluxo cambial financeiro estava negativo em US$ 1,8 bilhão, segundo o BC.

O BC vendeu todos os US$ 580 milhões ofertados em moeda física nesta quinta-feira e negociou ainda todos os 11.600 contratos de swap cambial reverso ofertados – nos quais assume posição comprada em dólar.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).