Google é alvo de nova investigação antitruste nos EUA

Aly Song/Reuters
O Texas lidera o grupo de mais de 30 procuradores-gerais que estão investigando o Google

Mais da metade dos procuradores-gerais estaduais dos EUA está preparando uma investigação sobre o Google, do Alphabet, por possíveis violações antitruste, disse uma fonte informada sobre a investigação hoje (3).

LEIA MAIS: Google pagará até US$ 200 mi à FTC em investigação do YouTube

O Texas lidera o grupo de mais de 30 procuradores-gerais, que planeja anunciar a investigação em 9 de setembro, informou a fonte.

O Google disse que estava cooperando com as autoridades.

“Continuamos a trabalhar construtivamente com os órgãos reguladores, incluindo procuradores-gerais, para responder a perguntas sobre nossos negócios e o setor dinâmico de tecnologia”, disse o representante do Google, Jose Castaneda.

Os gigantes da tecnologia, entre as empresas mais ricas e poderosas do mundo, estão enfrentando crescente escrutínio antitruste do Congresso, agências federais e agora procuradores-gerais estaduais.

O Departamento de Justiça disse em julho que estava abrindo uma ampla investigação das principais empresas de tecnologia digital, focando se elas se envolviam em práticas anticoncorrenciais. Acredita-se que a investigação seja direcionada ao Google, Amazon.com e Facebook, e potencialmente à Apple.

VEJA TAMBÉM: Procon-SP multa Google e Apple por aplicativo FaceApp

Separadamente, a Comissão Federal do Comércio, que também aplica a lei antitruste, também está investigando a Amazon e o Facebook para determinar se eles abusaram de seu enorme poder de mercado no varejo e nas mídias sociais, respectivamente.

O “Washington Post” foi o primeiro a relatar tais desdobramentos nesta terça-feira.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).