Saudi Aramco busca fundos soberanos para atingir US$ 2 tri em IPO

Hamad I Mohammed/Reuters
As abordagens aos fundos soberanos são feitas através dos bancos nomeados pela Saudi Aramco

A estatal Saudi Aramco procurou a Autoridade de Investimentos de Abu Dhabi (ADIA), GIC de Singapura e outros fundos soberanos para investir na parte doméstica da oferta da gigante do petróleo que busca alcançar uma avaliação de US$ 2 trilhões, disseram fontes.

LEIA MAIS: Arábia Saudita vai retomar produção de petróleo até o fim do mês, diz ministro

Após conversas iniciais nos últimos meses entre a Arábia Saudita e governos no Golfo e na Ásia, começaram as abordagens aos fundos soberanos através dos bancos nomeados para lidar com a oferta pública inicial (IPO) da Aramco, disseram as fontes.

Uma reunião entre a administração da Aramco e uma equipe da ADIA, de Abu Dhabi, o terceiro maior fundo soberano do mundo, foi marcada para outubro, disse uma das fontes à Reuters.

Uma segunda fonte confirmou a abordagem da ADIA, enquanto duas outras fontes disseram que a GIC havia sido abordada.

Todas as fontes que falaram com a Reuters pediram para ficar anônimas, pois não estavam autorizadas a falar com a imprensa.

O investidor estatal de Abu Dhabi, Mubadala Investment Co, que tem US$ 229 bilhões sob gestão, também foi abordado pelos consultores da Aramco, disseram duas fontes.

Uma das fontes disse que as abordagens ainda estão em um estágio inicial e que alguns dos fundos ainda precisam estudar as propostas antes de decidir se irão investir.

VEJA TAMBÉM: Ataques a instalações petrolíferas sauditas destroem metade da produção local

Entre os investidores do Golfo, o fundo soberano do Bahrein, Mumtalakat, deve considerar investir no IPO, disse outra fonte.

A ADIA e Mubadala se recusaram a comentar, enquanto Aramco e Mumtalakat não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

As abordagens aos fundos soberanos nos países próximos da Arábia Saudita e às famílias abastadas do país indicam que os banqueiros pretendem construir uma base de investidores para atingir a avaliação de US$ 2 trilhões almejada pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).