Ibovespa recua com realização de lucros e fraqueza em balanços

Nacho Doce/Reuters
Índice da bolsa paulista caiu 0,52% e fechou a 106.986,15 pontos

O principal índice da Bovespa recuou hoje (24), em dia de realização de lucros após recentes recordes, mas também reagindo ao noticiário corporativo, marcado por resultados trimestrais abaixo das expectativas.

LEIA MAIS: Ibovespa renova recorde com início de temporada de balanços

O Ibovespa caiu 0,52%, a 106.986,15 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 19,1 bilhões.

A realização de lucros já era esperada após o índice ter avançado cerca de 2,7% na semana até a sessão da véspera, em que fechou com recorde.

Para Fábio Galdino, chefe de renda variável da Vero Investimentos, o movimento é saudável. “Os ativos da bolsa se valorizaram muito nos últimos 15 dias, é normal que a gente tenha uma realização após altas fortes”, afirmou.

O BTG Pactual revisou projeção para a taxa básica de juros e agora estimam que a Selic caia a 4% no final do ciclo de alívio monetário em 2020. Antes, eles previam o ciclo terminando em 4,5% no final deste ano.

Nos EUA, mercados acionários não apresentaram rumo comum, com o S&P 500 avançando 0,19%, impulsionado por resultados trimestrais positivos da Microsoft e da PayPal.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa sobe mais de 1% e bate novo recorde de fechamento

No âmbito da guerra comercial, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, acusou a China de restringir “direitos e liberdades” em Hong Kong, além de criticar a Nike e a NBA por se alinharem a Pequim.

Após a sessão, Petrobras, Vale, Lojas Renner e Fleury divulgam seus balanços trimestrais, seguidas por Ambev e Usiminas na manhã de sexta-feira (25).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).