Dólar tem maior alta em mais de 7 meses

ReutersDadoRuvic
Foi a maior variação percentual diária desde 27 de março

O dólar inverteu a tendência que registrava no início da manhã e encerrou a sessão de hoje (6) com um firme avanço frente ao real, diante da frustração de investidores com a fraca participação de empresas estrangeiras no megaleilão da cessão onerosa.

O dólar à vista fechou em firme alta de 2,22%, a R$ 4,0818 na venda, maior variação percentual diária desde 27 de março (2,27%). Na B3, o dólar futuro operava em alta de 2%, a R$ 4,0805.

O leilão, que ofertava quatro áreas do excedente da cessão onerosa, frustrou as expectativas do mercado que contava com uma maior participação de empresas estrangeiras colaborando com a entrada de fluxo cambial no país.

LEIA TAMBÉM: Dólar sobe mais de 1% ante real

A Petrobras arrematou dois blocos, incluindo o mais caro do leilão, Búzios, fazendo oferta de R$ 61,38 bilhões para ter 90% de participação nessa área – as chinesas CNODC e CNOOC ficaram com o restante, com 5% cada. Os blocos Sépia e Atapu não receberam nenhuma oferta.

“Há frustração em relação ao leilão, com a Petrobras levando 90% do consórcio de Búzios”, disse Flavio Serrano, economista sênior do banco Haitong. “Havia expectativa de maior participação de empresas estrangeiras.”

O dólar chegou a operar na marca de R$ 3,9762 na mínima pela manhã, antes do início do leilão de excedentes da cessão onerosa.

No exterior, também repercutiu a notícia de que uma reunião entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, para assinar um acordo comercial pode ser adiada até dezembro, segundo uma fonte.

Outras divisas de risco registraram sessão mista, com o peso mexicano se desvalorizando contra o dólar, enquanto a lira turca mostrava leve avanço.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).