Thomson Reuters nomeia novo CEO; resultados vêm acima do esperado

O provedor de notícias e informações registrou um aumento de 4% na receita orgânica, para US$ 1,58 bilhão

A Thomson Reuters anunciou hoje (25) que nomeou Steve Hasker, ex-presidente da Nielsen Holdings, como seu novo presidente-executivo, sucedendo a Jim Smith.

A controladora da Reuters News também anunciou resultados acima do esperado no quarto trimestre, reportando um aumento de 60% no lucro operacional ante um ano antes, com a queda de custos e investimentos após a venda de participação da unidade F&R, de operações financeiras e de risco.

Hasker, mais recentemente um alto executivo da agência de talentos CAA de Hollywood, assumirá seu novo cargo em 15 de março, disse a Thomson Reuters. Smith, um ex-jornalista que supervisionou um período de grandes mudanças na empresa, permanecerá por um período de transição em 2020 e se tornará presidente da Thomson Reuters Foundation.

Stephane Bello, vice-presidente financeiro, também deixará o cargo e será substituído por Mike Eastwood, atual vice-presidente sênior de finanças corporativas. Bello supervisionará a estratégia e o desenvolvimento de negócios até 2021, disse a empresa.

A Thomson Reuters manteve sua meta de crescimento de receita orgânica de 4% a 4,5% em 2020 e disse que suas margens serão um pouco mais altas do que o previsto em outubro e também acima dos níveis de 2019.

RESULTADOS

O lucro operacional no trimestre aumentou 60%, para US$ 216 milhões. Em uma base ajustada, os ganhos no quarto trimestre subiram para US$ 185 milhões, ou US$ 0,37 por ação, ante US$ 102 milhões, ou US$ 0,19 por ação no ano anterior. Os analistas esperavam, em média, US$ 0,33 por ação, segundo o IBES da Refinitiv.

O provedor de notícias e informações registrou um aumento de 4% na receita orgânica, para US$ 1,58 bilhão, e apresentou vendas mais altas em cada uma de suas três maiores divisões: profissionais de direito, empresas e profissionais de impostos e contabilidade. A divisão Reuters News obteve receita orgânica de US$ 164 milhões, um aumento de 5%.

“Se você me perguntar do que mais me orgulho, são as pessoas da Thomson Reuters, o que fazemos todos os dias e a diferença que fazemos no mundo”, disse Smith em entrevista. Em relação a Hasker, Smith acrescentou: “Ele vai focar em… acelerar a taxa de crescimento e novos planos, e acho que ele será capaz de fazer isso”.

A empresa, controlada pela família Thomson do Canadá, disse que o conselho de administração aprovou um aumento de 8% por ação no dividendo anual, para US$ 1,52 por ação.

Nos últimos anos, a Thomson Reuters cortou custos e abandonou algumas empresas ao se recuperar das consequências da crise financeira em 2008.

A principal conquista de Smith foi a venda que ele criou de uma participação de 55% na divisão financeira da empresa em 2018 para o Blackstone Group, avaliando o negócio em US$ 20 bilhões. Posteriormente, a Blackstone fechou um acordo para vender a unidade, agora chamada Refinitiv, para o London Stock Exchange Group Plc.

As ações da Thomson Reuters mais que dobraram desde o acordo envolvendo a Refinitiv e triplicaram desde que ele assumiu o cargo de CEO em 2012.

As autoridades europeias de concorrência devem decidir sobre a aquisição da empresa de dados e análises Refinitiv por US$ 27 bilhões pela London Stock Exchange nos próximos meses.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).