Coronavírus “não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado”, diz espionagem dos EUA

ReutersConnect/CDC/Handout via REUTERS
Ilustração feita pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA representando o novo coronavírus

A principal agência de espionagem dos Estados Unidos disse pela primeira vez, hoje (30), que a comunidade de inteligência norte-americana acredita que o vírus da Covid-19 surgido na China não foi feito pelo homem nem geneticamente modificado.

O comunicado do Escritório do Diretor de Inteligência Nacional (Odni) contradiz teorias conspiratórias veiculadas por ativistas anti-China e alguns apoiadores do presidente dos EUA, Donald Trump, que insinuam que o novo coronavírus foi desenvolvido por cientistas chineses em um laboratório de armas biológicas, do qual acabou escapando.

LEIA MAIS: Cristina Junqueira, do Nubank, explica porque uma base sólida dos negócios é fundamental em tempos de crise

O posicionamento da agência também reforça comentários da Organização Mundial da Saúde (OMS), que no dia 21 de abril disse que todos os indícios disponíveis sugerem que o coronavírus surgiu em animais na China no final do ano passado e que não foi manipulado ou feito em um laboratório.

“A Comunidade de Inteligência (IC) também concorda com o consenso científico abrangente de que o vírus da Covid-19 não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado”, disse o Odni em comunicado. “A IC continuará a examinar rigorosamente a informação e as informações que surgirem para determinar se o surto começou através do contato com animais infectados ou se foi o resultado de um acidente em um laboratório de Wuhan”, acrescentou.

Autoridades norte-americanas a par de relatórios e análises de inteligência estão dizendo há semanas que não acreditam nas teorias conspiratórias segundo as quais cientistas chineses desenvolveram o coronavírus em um laboratório de armas biológicas do governo do qual este escapou mais tarde.

Em vez disso, eles disseram crer que ou o vírus surgiu naturalmente em um mercado de carne de Wuhan ou pode ter escapado de um dos dois laboratórios governamentais de Wuhan que estariam realizando pesquisas civis sobre possíveis riscos biológicos.

Trump, que culpa a China pela pandemia global, disse nesta quinta-feira que acredita que a maneira como a China está lidando com o coronavírus prova que esta “fará tudo que puder” para impedi-lo de se reeleger em novembro.

LEIA TAMBÉM: Sua casa é pequena? Aprenda a otimizá-la para o home office

Mais de 3,21 milhões de pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus no mundo, e 227.864 morreram, de acordo com uma contagem da Reuters nesta quinta-feira.

Em uma entrevista concedida à Reuters no Salão Oval, Trump falou da China com dureza e disse que está estudando diversas opções em termos de consequências para Pequim em relação ao vírus. “Posso fazer muita coisa”, afirmou, sem dar detalhes. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).