Natura é a 14ª empresa mais sustentável do mundo

Ranking leva em conta fatores como consumo de energia, produção de lixo, diversidade nos cargos de liderança e investimento em inovação.

Karsten Strauss
Compartilhe esta publicação:

Em meio às ações do Fórum Econômico Mundial em Davos, que começou ontem (23), na Suíça, a Corporate Knights, empresa de informações financeiras e revista cujo foco é como os negócios e os benefícios sociais e ecológicos podem andar de mãos dadas, divulgou o ranking das empresas mais sustentáveis do mundo. Nele estão companhias do mundo todo cuja sustentabilidade, em várias categorias, é capaz de colocá-las em um patamar único.

Acessibilidade


VEJA TAMBÉM: As 10 empresas mais felizes para trabalhar em 2018

O estudo, em seu 14º ano, observa dados públicos, como declarações financeiras e relatórios de sustentabilidade, de cerca de 6 mil empresas com receita anual mínima de US$ 1 bilhão. Os fatores-chave para a análise são: consumo de energia, emissão de carbono e produção de lixo e de ar limpo. Também foram levados em consideração gastos com inovação; impostos pagos; diversidade da liderança; salários dos altos cargos; fornecedores com quem as empresas trabalham; fundos de pensão e saúde; taxas de segurança; rotatividade de funcionários; e o vínculo entre as metas de sustentabilidade e a remuneração dos executivos.

As empresas que apareceram nos rankings dos anos anteriores foram automaticamente incluídas na análise do novo relatório e todas as empresas que entraram no Top 900 foram contatadas para verificação de dados antes de os resultados serem reduzidos para as 100 finalistas.

Cinco empresas brasileiras aparecem na lista. A Natura, que pela 9ª vez aparece entre as mais sustentáveis do mundo, subiu cinco posições em relação ao ano passado e ocupa, agora, a 14ª posição. O uso sustentável da biodiversidade amazônica é um dos principais vetores de inovação da companhia, que tem mais de 80% de seus ingredientes de origem vegetal. A segunda empresa brasileira a figurar no Top 25 é a Companhia Elétrica de Minas Gerais (CEMIG), em 18º lugar. Fora do Top 25, aparecem no ranking ainda as brasileiras Banco do Brasil, em 49º lugar, Engie Brasil Energia (52º) e Banco Santander Brasil (76º).

No topo da lista deste ano está a Dassault Systèmes, uma empresa francesa que desenha softwares de engenharia que auxilia outras companhias na redução do lixo. Segundo a Corporate Knights, a empresa superou todas as outras no ranking de sustentabilidade por ter uma forte representação feminina em seu quadro, uma pequena diferença entre o pagamento de seu CEO e dos demais trabalhadores, e por pagar mais de 26% de seus ganhos em impostos nos últimos cinco anos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA: 10 empresas mais bem administradas dos EUA em 2017

Na sequência está a Neste, companhia finlandesa do setor de diesel renovável e outros produtos do petróleo. Dentro dos próximos cinco anos, segundo a Corporate Knights, mais da metade de sua receita virá de combustível renovável e material biológico. Em terceiro lugar está a Valeo, uma empresa com sede na França que fabrica peças automotivas. Ela ganhou sua posição no Top 3 por fabricar produtos que ajudam as montadoras a reduzir as emissões.

Como resultado de suas análises, a Corporate Knights descobriu que as empresas do ranking têm três vezes mais mulheres nos mais altos cargos executivos do que as multinacionais no geral na mesma base de faturamento (mais de US$ 1 bilhão). Elas também pagam 27% a mais em impostos.

Veja, na galeria de fotos, as 25 empresas mais sustentáveis do mundo em 2018:

  • Reprodução/Reuters

    25º) Vivendi
    País: França
    Setor: mídia
    Taxa de sustentabilidade: 71,1%

  • Getty Images

    23º) Commonwealth Bank of Australia (empate)
    País: Austrália
    Setor: bancário
    Taxa de sustentabilidade: 71,5%

  • Divulgação

    23º) McCormick (empate)
    País: Estados Unidos
    Setor: produtos alimentícios
    Taxa de sustentabilidade: 71,5%

  • Getty Images

    22º) Sanofi SA (empate)
    País: França
    Setor: farmacêutico
    Taxa de sustentabilidade: 71,9%

  • Getty Images

    22º) Honda Motor Co
    País: Japão
    Setor: automóveis
    Taxa de sustentabilidade: 71,9%

  • Getty Images

    20º) Allergan
    País: Estados Unidos
    Setor: farmacêutico
    Taxa de sustentabilidade: 72,2%

  • Divulgação

    19º) Philips
    País: Holanda
    Setor: conglomerados industriais
    Taxa de sustentabilidade: 72,5%

  • iStock

    18º) Companhia Elétrica de Minas Gerais (CEMIG)
    País: Brasil
    Setor: serviços elétricos
    Taxa de sustentabilidade: 73%

  • iStock

    16º) BMW (empate)
    País: Alemanha
    Setor: automóveis
    Taxa de sustentabilidade: 73,2%

  • Divulgação

    16º) Amadeus IT Group (empate)
    País: Espanha
    Setor: tecnologia da informação
    Taxa de sustentabilidade: 73,2%

  • iStock

    15º) Pearson
    País: Reino Unido
    Setor: mídia
    Taxa de sustentabilidade: 73,9%

  • Divulgação

    14º) Natura Cosméticos
    País: Brasil
    Setor: produtos pessoais
    Taxa de sustentabilidade: 74,1%

  • Getty Images

    13º) Merck
    País: Estados Unidos
    Setor: farmacêutico
    Taxa de sustentabilidade: 74,3%

  • Getty Images

    12º) Enbridge
    País: Canadá
    Setor: petróleo, gás e combustíveis
    Taxa de sustentabilidade: 74,9%

  • Divulgação

    11º) Aareal Bank
    País: Alemanha
    Setor: poupanças e créditos hipotecários
    Taxa de sustentabilidade: 75,4%

  • Reprodução

    10º) Samsung
    País: Coreia do Sul
    Setor: eletrônicos, instrumentos e componentes
    Taxa de sustentabilidade: 75,8%

  • Getty Images

    9º) Siemens
    País: Alemanha
    Setor: conglomerados industriais
    Taxa de sustentabilidade: 76,7%

  • Getty Images

    8º) Autodesk
    País: Estados Unidos
    Setor: software
    Taxa de sustentabilidade: 76,9%

  • Getty Images

    7º) Cisco Systems
    País: Estados Unidos
    Setor: equipamentos de comunicação
    Taxa de sustentabilidade: 77%

  • Reprodução/Facebook

    6º) Amundi
    País: França
    Setor: mercado de capitais
    Taxa de sustentabilidade: 77,8%

  • Getty Images

    5º) Outotec
    País: Finlândia
    Setor: construção e engenharia
    Taxa de sustentabilidade: 78,3%

  • iStock

    4º) Ucb
    País: Bélgica
    Setor: farmacêutico
    Taxa de sustentabilidade: 79,5%

  • Reprodução/Facebook

    3º) Valeo
    País: França
    Setor: componentes automotivos
    Taxa de sustentabilidade: 83,6%

  • Divulgação

    2º) Neste
    País: Finlândia
    Setor: petróleo, gás e combustíveis
    Taxa de sustentabilidade: 85,2%

  • Divulgação

    1º) Dassault Systèmes
    País: França
    Setor: software
    Taxa de sustentabilidade: 86,1%

Reprodução/Reuters

25º) Vivendi
País: França
Setor: mídia
Taxa de sustentabilidade: 71,1%

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).

Compartilhe esta publicação: