Os donos de equipes de esporte mais ricos do mundo

No último ano, a equipe de críquete Mumbai Indians perdeu mais da metade das partidas da 11ª temporada da liga Indian Premier League. Foi um desempenho decepcionante para um dos times mais bem-sucedidos da história do campeonato, do qual soma três títulos. Embora os resultados dentro do campo tenham sido desfavoráveis, o ano foi lucrativo para Mukesh Ambani, proprietário da equipe que faz parte de seu conglomerado Reliance Industries. Nos últimos 12 meses, sua fortuna saltou de US$ 10 bilhões para US$ 50 bilhões. Ambani é a 13ª pessoa mais rica do planeta, a mais rica da Índia e o dono de time esportivo com o bolso mais recheado no mundo.

LEIA MAIS: 10 atletas femininas mais bem pagas de 2018

Gigante do petróleo e do gás, a Reliance tem receita de US$ 60 bilhões. Fundada pelo pai de Ambani, Dhirubhai, em 1966 como uma pequena fábrica têxtil, a empresa expandiu sua atuação para os setores de petróleo e gás, refino, varejo e telecomunicações. Nesse setor, o serviço telefônico Jio, parte do conglomerado, alcançou uma base de 280 milhões de clientes, aos quais oferece chamadas de voz domésticas gratuitas, serviços de dados acessíveis e smartphones virtualmente gratuitos. As ações da empresa subiram 35% no último ano, puxando para cima o patrimônio de Ambani.

Assim, Ambani resistiu à crise pela qual muitos bilionários passaram no ano passado. De acordo com a última contagem da Forbes, há 2.153 bilionários ao redor do mundo, com uma fortuna combinada de US$ 8,7 trilhões — menos bilionários, concentrando uma fortuna menor, a segunda redução em ambos os números nos últimos 10 anos.

De modo geral, os donos de times esportivos se saíram melhor que os demais bilionários. Dos 20 proprietários mais ricos, 13 têm uma fortuna em ascensão, e cinco, um patrimônio em decréscimo. O total de executivos do ramo do esporte é de 58 — entre grandes acionistas e gerentes — em 70 equipes com uma receita de US$ 359 bilhões.

Dono do time de basquete Los Angeles Clippers, Steve Ballmer segue na segunda posição do ranking, como o mais rico proprietário de uma equipe esportiva nos Estados Unidos. Sua fortuna teve um aumento de 7% no ano passado, batendo a marca de US$ 41,2 bilhões. CEO de longa data da Microsoft, ele se aposentou em 2014, mesmo ano em que comprou os Clippers, mas manteve a maior parte de suas ações na gigante de software, estratégia que valeu a pena. Os papeis da Microsoft dobraram nos últimos quatro anos, assim como o patrimônio de Ballmer. O executivo também ampliou seu investimento em filantropia desde 2014, dedicando mais de US$ 2 bilhões para um fundo com foco em tirar norte-americanos da pobreza.

Dietrich Mateschitz, é o terceiro dono de time esportivo mais rico, com US$ 18,9 bilhões. Em 1987, ele cofundou a Red Bull, fabricante de bebida energética que vendeu 6,8 bilhões de latas só no ano passado. A participação atual de Mateschitz na empresa é de 49%. A Red Bull hoje detém três equipes: o New York Red Bulls, de futebol, a Red Bull Racing e a Red Bull Toro Ross Honda, ambos de Fórmula 1.

VEJA TAMBÉM: Os 10 times de basquete mais valiosos da NBA em 2019

Completando o Top 5, vêm Hasso Plattner, dono da equipe de hóquei San Jose Sharks, com fortuna de US$ 13,5 bilhões, e Roman Abramovich, do clube de futebol Chelsea, com patrimônio de US$ 12,4 bilhões.

Entradas e saídas

Executivos que não apareceram no ranking deste ano foram Paul Allen, Richard Devos e Tom Benson. Os três — proprietários de longa data de times da liga de basquete NBA e de futebol americano NFL — morreram nos 12 últimos meses.

Dois nomes que estrearam na lista de 2019 foram David Tepper e Robert Pera. Tepper, titã dos fundos hedge que antes tinha participação minoritária no Pittsburgh Steelers, comprou o Carolina Panthers de Jerry Richardson por US$ 2,3 bilhões em julho do ano passado. Após a morte de Allen, Tepper se tornou o proprietário de time mais rico da NFL, com fortuna de US$ 11,6 bilhões e a sexta colocação do ranking.

Já Pera comprou o Memphis Grizzlies em 2012 em sociedade com os executivos Stephen Kaplan e Daniel Straus e, no ano passado, adquiriu a parte dos sócios em um acordo de US$ 1,3 bilhão. Os Grizzlies perderam pela segunda temporada seguida, mas a fortuna de Pera deu um salto de 60%, alcançando US$ 6,9 bilhões, graças à elevação no preço das ações da empresa de equipamentos de rede que Pera fundou, a Ubiquiti Networks.

E MAIS: Lakers, Bulls e 76ers devem pagar os salários mais altos da NBA

Ao todo, existem 106 times esportivos ao redor do mundo com valor de pelo menos US$ 1 bilhão. Veja, a seguir, os 20 proprietários de times esportivos mais ricos do mundo:

  • 1. Mukesh Ambani (13° colocado no ranking geral de bilionários da Forbes)

    Fortuna: US$ 50 bilhões

    Fonte de renda: Petróleo e gás

    Time: Mumbai Indians

  • 2. Steve Ballmer (19)

    Fortuna: US$ 41,2 bilhões

    Fonte de renda: Microsoft

    Time: Los Angeles Clippers

  • 3. Dietrich Mateschitz (53)

    Fortuna: US$ 18,9 bilhões

    Fonte de renda: Red Bull

    Times: New York Red Bulls, Red Bull Racing, Red Bull Toro Rosso Honda

  • 4. Hasso Plattner e família (94)

    Fortuna: US$ 13,5 bilhões

    Fonte de renda: Software

    Time: San Jose Sharks

  • 5. Roman Abramovich (107)

    Fortuna: US$ 12,4 bilhões

    Fonte de renda: indústria do aço e investimentos

    Time: Chelsea FC

  • 6. David Tepper (118)

    Fortuna: US$ 11,6 bilhões

    Fonte de renda: fundos hedge

    Time: Carolina Panthers

  • 7. Philip Anschutz (128)

    Fortuna: US$ 10,9 bilhões

    Fonte de renda: investimentos

    Times: Los Angeles Kings, LA Galaxy

  • 8. Mikhail Prokhorov (139)

    Fortuna: US$ 9,8 bilhões

    Fonte de renda: investimentos

    Time: Brooklyn Nets

  • 9. Micky Arison (162)

    Fortuna: US$ 8,9 bilhões

    Fonte de renda: Carnival Cruises, empresa de cruzeiros marítimos

    Time: Miami Heat

  • 10. Stanley Kroenke (167)

    Fortuna: US$ 8,7 bilhões

    Fonte de renda: esportes e imóveis

    Times: Los Angeles Rams, Arsenal, Denver Nuggets, Colorado Avalanche, Colorado Rapids

  • 11. Stephen Ross (191)

    Fortuna: US$ 7,6 bilhões

    Fonte de renda: imóveis

    Time: Miami Dolphins

  • 12. Robert Pera (215)

    Fortuna: US$ 6,9 bilhões

    Fonte de renda: engrenagem de rede sem fio

    Time: Memphis Grizzlies

  • 13. Jerry Jones (224) (empate)

    Fortuna: US$ 6,8 bilhões

    Fonte de renda: Dallas Cowboys, time de futebol americano

    Time: Dallas Cowboys

  • 13. Shahid Khan (224) (empate)

    Fortuna: US$ 6,8 bilhões

    Fonte de renda: autopeças

    Time: Jacksonville Jaguars

  • 15. Daniel Gilbert (233)

    Fortuna: US$ 6,7 bilhões

    Fonte de renda: Quicken Loans, empresa de empréstimos

    Time: Cleveland Cavaliers

  • 16. Robert Kraft (244)

    Fortuna: US$ 6,5 bilhões

    Fonte de renda: New England Patriots

    Times: New England Patriots, New England Revolution

  • 17. Aiyawatt Srivaddhanaprabha e família (290)

    Fortuna: US$ 5,9 bilhões

    Fonte de renda: Duty-free, loja de produtos importados

    Time: Leicester City

  • 18. Charles Johnson (355) (empate)

    Fortuna: US$ 5 bilhões

    Fonte de renda: gerenciamento de dinheiro

    Time: San Francisco Giants

  • 18. Joe Lewis (355) (empate)

    Fortuna: US$ 5 bilhões

    Fonte de renda: investimentos

    Time: Tottenham Hotspur

  • 20. Ted Lerner (365)

    Fortuna: US$ 4,9 bilhões

    Fonte de renda: imóveis

    Time: Washington Nationals

1. Mukesh Ambani (13° colocado no ranking geral de bilionários da Forbes)

Fortuna: US$ 50 bilhões

Fonte de renda: Petróleo e gás

Time: Mumbai Indians

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).