Global 2000: 20 maiores empresas brasileiras de capital aberto de 2019

Getty Images
O ranking deste ano conta com 20 empresas brasileiras, uma a mais do que no ano passado

Resumo:

  • Brasil tem 20 empresas na edição 2019 da Global 2000, uma a mais do que no ano passado;
  • Petrobras deixa o 5º lugar em 2018 para ocupar o topo do novo ranking;
  • B3 é a novidade da lista, ocupando o 13º lugar entre as companhias nacionais e o 1.486º na classificação geral.

Em sua 17ª edição, o ranking anual da Forbes Global 2000 lista as maiores empresas de capital aberto segundo uma pontuação definida por meio de métricas como vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Juntas, as organizações deste ano registraram mais de US$ 40 trilhões em receita e mais de US$ 186 trilhões em ativos globais.

LEIA MAIS: Global 2000: as maiores empresas de capital aberto do mundo em 2019

O ranking deste ano conta com 20 empresas brasileiras, uma a mais do que no ano passado. A Petrobras, que em 2018 ficou com o 5º lugar entre as brasileiras e o 243º na lista geral, saltou para o topo entre nacionais e a 50ª posição na listagem total.

Os bancos continuam bem colocados, embora o Itaú Unibanco tenha perdido o 1º lugar para a petroleira. A instituição financeira ficou com a vice-liderança e a 58ª posição na lista geral – uma queda de 13 posições em relação ao ano passado. O Bradesco, vice-líder em 2018, caiu para o 3º lugar e a 68ª posição entre as 2.000 empresas listadas (contra a 65ª na última edição).

A tragédia de Brumadinho parece não ter tido grande impacto sobre a Vale. A mineradora ocupa a 4ª posição entre as brasileiras (contra a 3ª em 2018) e a 139ª na lista geral (132ª no ano passado).

A nova edição do levantamento mostra que a Oi ganhou fôlego: 15ª colocada em 2018 entre as brasileiras e 1.718ª na lista geral, conquistou posições em ambas. A operadora de telefonia aparece agora em 10º lugar e 1.089º, respectivamente.

Quem também mostrou melhora, apesar de todo o noticiário negativo e do envolvimento da empresa em esquema de corrupção com o governo, foi a JBS. A brasileira, considerada uma das maiores empresas de alimentos do mundo, é agora a 7ª colocada entre as companhias nacionais (contra o 9º lugar em 2018). Mas o maior ganho foi no ranking geral: 212 posições (de 1.037 para 825).

VEJA TAMBÉM: Global 2000: As Empresas Mais Bem Conceituadas do Mundo

À beira da privatização, a Eletrobras também se destacou ao ganhar quatro posições na lista das brasileiras (de 10º para 6º lugar) e 463 na geral (de 1.120 para 657).

A novidade na lista é a B3. A bolsa de valores tirou o 13º lugar da Gerdau (que foi para 17º) e, na classificação geral, ficou com a 1.486ª posição. A CPFL, que tinha caído no ranking do ano passado, voltou à lista, agora em 14º lugar entre as empresas nacionais e 1.546º na classificação geral. A Fibria, que foi comprada pela Suzano em uma operação que resultou em uma gigante global de celulose, não aparece no novo levantamento.

Veja, na galeria de fotos abaixo, as 20 maiores empresas brasileiras de capital aberto de 2019:

  • 20°. Sabesp

    Indústria: Água e saneamento
    CEO: B. Ferreira Braga
    Valor de mercado: US$ 6,1 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.865° lugar

  • 19°. Cemig

    Indústria: Energia
    CEO: Bernardo Salomão de Alvarenga
    Valor de mercado: US$ 6,1 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.836° lugar

  • 18°. Suzano Papel e Celulose

    Indústria: Produção de papel e celulose
    CEO: Antonio Nato
    Valor de mercado: US$ 14 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.799° lugar

  • 17°. Metalúrgica Gerdau

    Indústria: Siderúrgica
    CEO: Gustavo da Cunha
    Valor de mercado: US$ 1,8 bilhão
    Posição na classificação geral: 1.736° lugar

  • 16°. Companhia Brasileira de Distribuição

    Indústria: Varejo
    CEO: Peter Lourenço Estermann
    Valor de mercado: US$ 6,3 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.660° lugar

  • 15°. Ultrapar Participações

    Indústria: Petróleo e gás
    CEO: Frederico Curado
    Valor de mercado: US$ 6,2 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.637° lugar

  • 14°. CPFL Energia

    Indústria: Energia elétrica
    CEO: Gustavo Estrella
    Valor de mercado: US$ 7,4 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.546° lugar

  • 13°. B3

    Indústria: Bolsa de valores
    CEO: Gilson Finkelsztain
    Valor de mercado: US$ 16,5 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.486° lugar

  • 12°. Cielo

    Indústria: Serviços financeiros
    CEO: Eduardo Gouveia
    Valor de mercado: US$ 5,7 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.478° lugar

  • 11°. CSN

    Indústria: Siderúrgica
    CEO: Benjamin Steinbruch
    Valor de mercado: US$ 5,3 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.429° lugar

  • 10°. Oi

    Indústria: Telecomunicações
    CEO: Eurico Teles Neto
    Valor de mercado: US$ 2,5 bilhões
    Posição na classificação geral: 1.089° lugar

  • 9°. Braskem

    Indústria: Petroquímica
    CEO: Fernando Musa
    Valor de mercado: US$ 9,7 bilhões
    Posição na classificação geral: 912° lugar

  • 8°. Itaúsa

    Indústria: Finanças e indústria
    CEO: Alfredo Setubal
    Valor de mercado: US$ 26,3 bilhões
    Posição na classificação geral: 859° lugar

  • 7°. JBS

    Indústria: Alimentícia
    CEO: Gilberto Tomazoni
    Valor de mercado: US$ 12,3 bilhões
    Posição na classificação geral: 825° lugar

  • 6°. Eletrobras

    Indústria: Energia elétrica
    CEO: Wilson Ferreira
    Valor de mercado: US$ 11,1 bilhões
    Posição na classificação geral: 657° lugar

  • 5°. Banco do Brasil

    Indústria: Bancária
    CEO: Ruben Novaes
    Valor de mercado: US$ 34,5 bilhões
    Posição na classificação geral: 154°lugar

  • 4°. Vale

    Indústria: Mineradora
    CEO: Eduardo Bartolomeo
    Valor de mercado: US$ 68,3 bilhões
    Posição na classificação geral: 139° lugar

  • 3°. Banco Bradesco

    Indústria: Bancária
    CEO: Octávio Lazari
    Valor de mercado: US$ 70,7 bilhões
    Posição na classificação geral: 68° lugar

  • 2°. Itaú Unibanco

    Indústria: Bancária
    CEO: Candido Bracher
    Valor de mercado: US$ 80,8 bilhões
    Posição na classificação geral: 58° lugar

  • 1°. Petrobras

    Indústria: Petróleo e gás
    CEO: Roberto Castello Branco
    Valor de mercado: US$ 91,2 bilhões
    Posição na classificação geral: 50° lugar

20°. Sabesp

Indústria: Água e saneamento
CEO: B. Ferreira Braga
Valor de mercado: US$ 6,1 bilhões
Posição na classificação geral: 1.865° lugar

 


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).